O Corpo: inscrições do campo biológico e do cotidiano

Nádia Geisa Silveira de Souza

Resumo


Neste artigo, interrogo aquilo que habitualmente pensamos ser o corpo - um fenômeno puramente biológico - e chamo a atenção para a existência de outros discursos e práticas sociais que circulam e se correlacionam na trama social, transformando e fabricando o corpo. Para tanto, estabeleço conexões com os estudos de Michel Foucault e de autores vinculados ao campo dos Estudos Culturais nas versões pós-estruturalistas. Num primeiro momento, abordo a questão do conhecimento e dos "objetos" associados às disciplinas acadêmicas como invenções - a fim de chamar a atenção para os efeitos das estratégias vinculadas ao campo biológico para o estudo do corpo humano na educação escolarizada. A seguir, trato do corpo como inscrição de acontecimentos cotidianos, vistos como falsos ou silenciados pela biologia, com a finalidade de questionar o papel dominante das práticas e das matérias escolarizadas.

Palavras-chave


Corpo. Disciplina Biológica. Cotidiano.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo