Propriedades da argamassa modificada com polímeros redispersíveis de etileno-acetato de vinila (EVA)

Karen Sorgi Bomediano, Carlos Eduardo Marmorato Gomes, Patrícia Stella Pucharelli Fontanini

Resumo


A baixa capacidade de absorção de energia das argamassas cimentícias resulta na formação de microfissuras e, consequentemente, influencia diretamente sua durabilidade. Em situações como reparos estruturais, as argamassas necessitam de características especiais, tais como menor retração hidráulica, maior deformabilidade e elevada aderência. O uso de polímeros redispersíveis, ou em emulsões, na modificação de argamassas cimentícias tem sido frequente, porém tais adições podem influir distintamente em suas propriedades. De forma geral, os polímeros termoplásticos podem aumentar a vida útil da argamassa, em especial, devido à redução de seu módulo de deformação e, consequentemente, de sua fissuração. Nesse sentido, foi analisada a aplicação de dois copolímeros redispersíveis à base de etileno-acetato de vinila para verificar sua influência no estado fresco e endurecido das argamassas e sua possível aplicação em reparos estruturais. Foram realizados ensaios de consistência, resistência mecânica, índices físicos e microscopia óptica. Os resultados evidenciam que o emprego desses copolímeros reduz a absorção de água devido à formação do filme polimérico e a sua coalescência nos poros. Ademais, os copolímeros proporcionam maior plasticidade das argamassas e reduzem seu módulo de deformação, características importantes para aplicações especiais como reparos estruturais em pisos de concreto armado. 


Palavras-chave


polímero redispersível, argamassa modificada, acetato de vinila e etileno.

Texto completo:

HTML




Direitos autorais 2020 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: