A CONSTRUÇÃO DO CORPO PELO CULTURISMO NO BRASIL

Maria Isabel Brandão de Souza Mendes, Marcel Alves Franco, Fabien Ohl

Resumo



O objetivo deste artigo é entender a construção do corpo pelo fisiculturismo. É um estudo de campo que permitiu entrevistar fisiculturistas do Nordeste do Brasil. Entrevistas semi-estruturadas foram realizadas com uma amostra de oito homens e duas mulheres. Realizamos uma análise do conteúdo das entrevistas. Os resultados permitiram identificar usos diferenciados do bodybuilding de acordo com as experiências passadas do corpo, os modos de comprometimento e sexo. Se o sofrimento proposto para explicar seu comprometimento com a prática é individual, a adesão às novas regras de construção do corpo é feita por um grupo de pessoas que levam a normalizar o consumo de substâncias farmacológicas.


Palavras-chave


Corpo humano. Doping nos esportes. Sociologia



DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.74985

Direitos autorais 2019 Movimento (ESEFID/UFRGS)




Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment