RELAÇÃO ENTRE FORÇA MUSCULAR E ÁREA DE SECÇÃO TRANSVERSA MUSCULAR EM ADULTOS JOVENS SEDENTÁRIOS

Autores

  • Ronei Silveira Pinto UFRGS
  • Gianni Rodolfi Ufrgs
  • Lucimere Bohn Ufrgs

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.2621

Palavras-chave:

Força muscular. Antropometria. Área de secção transversa muscular.

Resumo

A proposta deste estudo foi determinar a relação entre a área de secção transversa muscular ASTm) estimada e a força máxima dinâmica de extensores de joelho e flexores do cotovelo. A amostra foi constituída de adultos jovens do sexo masculino, sedentários e aparentemente saudáveis (n = 10). A força máxima dinâmica foi avaliada através do teste de uma repetição máxima (1-RM). As estimativas da ASTm de coxa e braço foram calculadas a partir da equação de Gurney (1973). Os resultados não mostraram correlação entre as variáveis força máxima dinâmica e a estimativa da área de secção transversa muscular (p > 0,05) e uma grande variabilidade amostrai. Essa pode ter sido in-fluenciada por fatores como o nível de atividade física (que influenciaria na coordenação neuromuscular e nos mecanismos inibitórios) e pela predominância dos diferentes tipos de fibras musculares em cada sujeito. Estes resultes impossibilitam a modulação da carga de treinamento a partir da ASTm, tendo em vista a grande variabilidade apresentada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronei Silveira Pinto, UFRGS

Mestre em Ciencias do Movimento Humano pela ESEF/UFRGS e Professor da ESEF/UFRGS.

Gianni Rodolfi, Ufrgs

Professor de Educação Física formado pela ESEF/UFRGS.

Lucimere Bohn, Ufrgs

Graduanda do Curso de Educação Física e Monitora da disciplina de Musculação da ESEF/UFRGS.

Downloads

Publicado

2007-12-04

Como Citar

PINTO, R. S.; RODOLFI, G.; BOHN, L. RELAÇÃO ENTRE FORÇA MUSCULAR E ÁREA DE SECÇÃO TRANSVERSA MUSCULAR EM ADULTOS JOVENS SEDENTÁRIOS. Movimento, [S. l.], v. 7, n. 15, p. 35–41, 2007. DOI: 10.22456/1982-8918.2621. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2621. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais