Comunicação, Identidade e TV pública no Pará

Fábio Fonseca de Castro

Resumo


O artigo discute a subjetividade de uma emissora de televisão, a TV Cultura, do Pará, identificando, na sua história, a persistência de um discurso nativista e patrimonialista cuja tônica é a percepção do espaço amazônico com uma pretensão à totalidade e à essencialidade. Tratar-se-ia de um discurso essencialmente conservador, fechado a inovações que não sejam produzidas, internamente, no seio de sua própria matriz de referencia. Ele pensa a cultura como uma identidade exclusiva e afirma idéias de propriedade, permanência, integridade e superioridade, constituindo uma tradução do pensamento das elites de Belém, que se sentem ameaçadas pela pretensa “perda” de seus referenciais simbólicos tradicionais mediante as dinâmicas de integração, inclusive midiática, do espaço amazônico à sociedade nacional brasileira.


Palavras-chave


Comunicação; identidade; televisão pública; Amazônia.

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)