Disputas pela Representação do Corpo Indígena no Twitter

Autores

  • Iara Tatiana Bonin Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Luterana do Brasil
  • Edgar Roberto Kirchof Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Luterana do Brasil
  • Daniela Ripoll (Universidade Luterana do Brasil – ULBRA, Canoas/RS, Brasil) Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Luterana do Brasil

Palavras-chave:

Corpo. Povos Indígenas. Representações. Estudos Culturais. Twitter.

Resumo

O artigo tem como objetivo analisar as representações do corpo indígena produzidas por ocasião da 14ª edição do Acampamento Terra Livre, realizado entre os dias 24 e 28 de abril de 2017, as quais foram difundidas e discutidas através de imagens e threads na rede social Twitter a partir de então. As análises situam-se no campo dos Estudos Culturais e os resultados apontam, de um lado, para uma representação que aposta na identidade genérica do índio como estratégia para conferir visibilidade às suas demandas sociais e políticas e, de outro, para disputas e embates em torno dessas mesmas representações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2018-04-10

Como Citar

Bonin, I. T., Kirchof, E. R., & Ripoll (Universidade Luterana do Brasil – ULBRA, Canoas/RS, Brasil), D. (2018). Disputas pela Representação do Corpo Indígena no Twitter. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 8(2), 219–247. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/76102

Edição

Seção

Corpo, Imagem, Educação

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)