Imaginários sobre a deficiência: mobilização de afetos cotidianos em campanhas publicitárias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-858320190.164-186

Palavras-chave:

Deficiência. Imaginários sociodiscursivos. Deficiência na mídia. Publicidade inclusiva. Inclusão e consumo.

Resumo

Propomos uma aproximação entre estudos sobre mídia e estudos sobre deficiência como norteadora das reflexões a respeito de imaginários sobre a deficiência em campanhas publicitárias de grandes marcas. Para tal, apresentamos aspectos críticos sobre o modelo social da deficiência, a noção de imaginários sociodiscursivos ancorados na Análise do Discurso, a evidência de afetos cotidianos em discursos publicitários e o uso de estratégias sensíveis para a mobilização do público. A partir de uma articulação teórico-metodológica vinculada a uma abordagem de inspiração etnográfica em redes sociais digitais, realizamos uma experiência de observação empírica da campanha de Natal da Sadia de 2017. O vídeo principal da campanha tem como protagonista uma garota com síndrome de Down, que se prepara para uma competição esportiva e suscita reações de pessoas comuns, com e sem deficiência. A análise revela como o caso despertou no público sentimentos articulados a valores individuais em permanente tensão com temáticas sociais amplas, como a inclusão e o respeito à diferença. Como conclusão, apontamos para o afeto como potente operador conceitual na reflexão sobre imaginários sociodiscursivos dos estudos de deficiência na mídia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sônia Caldas Pessoa, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Professora do Departamento de Comunicação e do PPGCOM/UFMG. Doutora em Estudos Linguísticos (Poslin/UFMG), com estágio doutoral na Université Paris Est-Crèteil / Le Céditec (Centre d’étude des discours, images, textes, écrits, communication (Paris, França), autora da tese Estética da diferença: contribuições ao estudo da deficiência e das redes sociais digitais como dispositivos de mise en scène, mestre em Estudos Linguísticos (Poslin/UFMG) e graduada em Comunicação Social/Jornalismo (FAFI-BH). É idealizadora do blog Tudo Bem Ser Diferente sobre educação inclusiva. O blog nasceu das vivências com o filho Pedro, que tinha hidrocefalia e morreu em janeiro de 2016. É idealizadora e coordenadora da Rádio Terceiro Andar. Temáticas de interesse: Pessoas com Deficiência, Comunicação e Acessibilidade, Vulnerabilidades, Discurso sobre as Pessoas com Deficiência, Redes sociais online; Radiojornalismo; Rádio e mídias digitais; Abordagens etnográficas em ambientes digitais; Corpus Sensível; Humanidades digitais. E-mail: soniacaldaspessoa@gmail.com Links: Currículo Lattes | Academia.edu |

Vanessa Cardozo Brandão, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Professora Adjunta do Departamento de Comunicação Social da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) desde 2015. Doutora em Estudos Literários pela UFF (Universidade Federal Fluminense), Mestre em Literaturas de Língua Portuguesa pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2005), Especialista em Gestão Estratégica de Marketing pela FACE/UFMG, Graduada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal de Minas Gerais (1997). Integrante dos grupos de pesquisa: a) NucCon (Núcleo de Pesquisa em Conexões Intermidiáticas/CCNM - Centro de Convergência de Novas Mídias CNPq/UFMG); b) Intermídia: Estudos sobre a Intermidialidade (UFMG); c) Afetos: Comunicação, Acessibilidade e Vulnerabilidades (UFMG). Foi docente por 15 anos na Faculdade de Comunicação e Artes da PUC Minas Gerais. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em PUBLICIDADE E PROPAGANDA, atuando principalmente nos seguintes temas: elaborações discursivas da publicidade em mídias digitais, retórica e poética no discurso publicitário, storytelling e narratividade na publicidade contemporânea, publicidade e retórica dialógica (estudos de recepção em processos de leitura/conversação sobre marcas em redes sociais), intermidialidade e estudos interartes, comunicação e literatura, estética da recepção (novos processos de leitura e produção de sentidos em redes digitais), pós-modernidade e produção literária.

Camila Maciel Campolina Alves Mantovani, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Professora do Departamento de Comunicação Social da UFMG. Jornalista (UFMG/2002) e Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG/2011) com pesquisa sobre "Narrativas da mobilidade: comunicação, cultura e produção em espaços informacionais". Desde 1999, trabalha em projetos de pesquisa em novas tecnologias de informação e comunicação com foco nos processos de produção e recepção de conteúdos digitais. Possui experiência no mercado de produtos e serviços de valor agregado para Telefonia Celular (Take.Net 2003-2006) e no desenvolvimento de estudos de usabilidade (UX). Atuou na Fapemig como bolsista do Programa de Comunicação Científica, Tecnológica e de Inovação (PCCT/2014-16). É co-coordenadora do Afetos: Grupo de Pesquisa em Comunicação, Acessibilidade e Vulnerabilidades, com cadastro no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq. Integra os seguintes grupos de pesquisa: Núcleo de Pesquisa em Conexões Intermidiáticas (NucCon) / Centro de Convergência de Novas Mídias (CCNM/UFMG), Núcleo de Estudos de Recepção em Comunicação Pública das Ciências (Nercopc/UFMG)Seus interesses de pesquisa abrangem: Midiatização; Comunicação organizacional; Estudos de Usabilidade e Acessibilidade; Mobilidades; Mídias Móveis; Pessoas comDeficiência; Corpo e Tecnologia.

Downloads

Publicado

2019-04-18

Como Citar

Pessoa, S. C., V. C. Brandão, e C. M. Campolina Alves Mantovani. “Imaginários Sobre a Deficiência: Mobilização De Afetos Cotidianos Em Campanhas publicitárias”. Intexto, abril de 2019, p. 164-86, doi:10.19132/1807-858320190.164-186.

Edição

Seção

Artigos