Arquivos - Página 2

  • Violências, Medo e Prevenção
    n. 20 (2008)

    Sociologias, em seu vigésimo número, apresenta o tema “Violências, Medo e Prevenção”. Os artigos que compõem o dossiê abordam a relação entre modernidade, violências e a produção social do medo mediante três conjuntos de estudos. O primeiro retraça novas formas de violência e crime e analisa como a produção social do medo ocorre em contextos de vulnerabilidade social, marcados pela crise das instituições. O segundo conjunto de escritos aborda a crise do sistema de Justiça Criminal, a mediação de conflitos em delegacias e a fragilidade dos modelos de ouvidoria existentes atualmente. Por fim são avaliados os efeitos dos meios de comunicação na disseminação das violências. Na Seção de artigos, Ricardo Silva examina o pensamento político de Vianna, criticando a concepção do “autoritarismo instrumental” Os outros dois textos apresentam faces da mundialização das conflitualidades. Ramón Fogel analisa a região de Tríplice Fronteira como territórios de integração e desintegração. Marcelo Rosa investiga, mediante uma análise comparativa da “atuação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (no Brasil) e do Landless People´s Movement (na África do Sul)”, as “formas emergentes que o Estado adquire nesses dois contextos sociais. Na Seção Interfaces, Renato Ortiz comenta a obra de Octavio Ianni. A resenha de Renata Florentino debate o conto de Fernando Pessoa O Banqueiro Anarquista.
  • Conhecimentos, Redes e Sociedade
    n. 19 (2008)

    Sociologias, em seu décimo nono número, apresenta o tema Conhecimentos, redes e sociedade. Os artigos que compõem esse dossiê abordam um conjunto de questões que giram em torno da temática do conhecimento, das redes e da relação entre a ciência, tecnologia, inovações e condições de vida, a partir de diferentes perspectivas, de autores de diversos países do continente americano. Ainda sobre esse tema, Michel Callon é entrevistado por Antnoio Arellano Hernández e Ivan da Costa Marques. Na seção Artigos Leonor Lima Torres debate tendências e perspectivas da cultura e da formação em contexto de trabalho e Jacob Carlos Lima discute reestruturação industrial, desemprego e autogestão no Vale dos Sinos. Na seção Interfaces, Luis Felipe Miguel traz a tona uma interessante discussão sobre mídia e declínio da confiança na política e Carlos Massé Narváez nos fala sobre a construção de objetos sócio-educativos com base epistemológica. Nas Resenhas Aloísio Ruscheinsky debate o livro "Sustentabilidade amibental, consumo e cidadania" de Fátima Portilho e Daniel Mocelin, apresenta o livro "The hacker ethic and the spirit of the information age" de Pekka Himanen.
  • Riqueza e Desigualdades
    n. 18 (2007)

    Sociologias, em seu décimo oitvao número, apresenta o dossiê Riqueza e Desigualdades. Os artigos que o compõem, apesar da diversidade das contribuições e dos referenciais teóricos empregados, possuem uma unidade: colocam em evidência dimensões do "pólo riqueza" ocultas pela ideologia e pelos efeitos de poder. Na seção Artigos, Ronaldo Guedes de Lima aborda a estruturação econômica e as relações sociais de trabalho no ramo da fumicultura e Deana Guillén discute relações entre cidadania, diversidade e marginalizaçao. Jorge Alberto Machado identifica características das novas formas de organização dos movimentos sociais e sua relação com novas tecnologias de informação e comunicação. Na seção Interfaces, Ralf Bohnsack traz um interessante debate acerca da interpretação de imagens e o Método Documentário e Emir Sader nos fala sobre religião, humanismo, alienação e emancipação. A Resenha desse número, elaborada por Margarita Rosa Gaviria aborda o livro de Gerard Martin e Miguel Ceballos, denominado "Bogotá: anatomia de una transformación - políticas de seguridad ciudadana 1995-2003".
  • Desafios da Educação Superior
    n. 17 (2007)

    Sociologias, em seu décimo sétimo número, apresenta o dossiê Desafios da Educação Superior. Os artigos que o compõem colocam em debate a importância estratégica da educação superior para o desenvolvimento econômico e social e para o futuro das nações. O dossiê reúne colaboradores da Europa e da América-Latina apresentando diferentes olhares sobre a temática. Na seção Artigos, Élida Rubini Liedke e Miguel ângelo Montagner abordam, respectivamente, questões teóricas e metodológicas, discutindo a relevância dos estudos em teoria sociológica e procedimentos de análise dos materiais biográficos ou história de vida. Cidriana Teresa Parenza e Naira Lima Lapis analisam a relação entre trajetórias profissionais pós-desligamento do trabalho e atributos acumulados pelo exercício profissional. Na Seção Interfaces Rodolfo Schmal, Reinaldo Ruiz, Sebastián Donoso e Martin Schaffernicht apresentam e debatem fatores que incidem no financiamento dos estudos universitários no Chile. A resenha desse número aborda o livro de Phillippe Steiner "A Sociologia Econômica", apresentado por Lucas Rodrigues Azambuja.
  • Sociedade e Políticas Públicas
    n. 16 (2006)

    Sociologias em seu décimo sexto número, apresenta o dossiê Sociedade e Políticas Públicas. Os artigos que o compõem tratam de assuntos freqüentemente abordados no debate corrente no Brasil, no campo da Sociologia Política em suas interfaces com a área de políticas públicas e com os estudos sobre fóruns participativos na gestão pública brasileira. Na seção Artigos, o texto de Pablo Forni e Lucimeire Vergilio Leite aborda o Terceiro Setor na sociedade rio-platense. A questão da Violência é tema dos artigos de Maria Stela Grossi Porto e de Fernando Salla, que trabalham, respectivamente com a noção de representações sociais enquanto possibilidade de compreensão do fenômeno da violência contemporânea e com a problemática envolvida nas rebeliões no sistema carcerário do Brasil. Na Seção Interfaces Alberto Rocha, da Universidade de Guadalajara, analisa a geopolítica do México na América Central e sua posição estrutural semi-periférica no mundo atual. Esse número apresenta, ainda, resenha de "Os Anormais", de Michel Foucault, por Francis Moraes de Almeida.
  • Complexidade
    n. 15 (2006)

    Sociologias, em seu décimo quinto número, apresenta o dossiê Complexidade. Os artigos que o compõem buscam retratar algo do imenso debate sobre o tema da complexidade levantando teses, diálogos e prtáticas. O dossiê reúne colaboradores de Portugal, México e Brasil, apresentando olhares variados e perspectivas complementares. Na seção Artigos Raquel Sosa Elízaga debate o tema conhecimento social e exclusão, retomando algo da discussão sobre o conhecimento presente no dossiê. Rodrigo Constante Martins aborda o debate sobre a composição de destinos interesses sociais em instâncias de gestão ambiental e territorial e Claudia Neves da Silva investiga as relações entre Igreja Católica, assistência social e caridae. Na seção de Interface, Richard Miskolci discute distintas visões sobre o papel do intelectual na sociedade brasileira de fins do século XIX a partir da polêmica de Machado de Assis e Sílvio Romero. Esse número apresenta, ainda duas resenhas. Fábio Dal Molin comenta o livro "Ganchos, Tachos e Biscates: jovens, trabalho e futuro do economista português José Machado Pais e, por fim, Leandro Raizer apresenta o livro "La complexité, vertiges et promesses. 18 histoires de sciences", organizado por Redá Benkirane.
  • Sociologia na(en) América Latina, ALAS
    n. 14 (2005)

    Sociologias, em seu décimo quarto número, apresenta o dossiê - Sociologia na (en) América Latina - que reconstrói momentos significativos da Associação Latino-americana de Sociologia (ALAS), criada em 1950, e dos vinte e quatro Congressos Latino-americanos de Sociologia, desde 1951. Retraçamos os períodos da produção sociológica desde os "Pensadores Sociais" até a atualidade - período da "consolidação institucional e da mundialização da sociologia da América Latina" - com uma ampla bibliografia de referência, em português e em espanhol. Dois sociólogos marcantes são homenageados. Inés Izaguirre evoca Gino Germani, um dos fundadores da "Sociologia Científica" na América Latina. Edgar Mendonza e Maria Stela Grossi Porto, Presidente da Sociedade Brasileira de Sociologia, homenageiam um mestre da "Sociologia Crítica", Octávio Ianni. Queremos oferecer este número de Sociologias aos participantes do XXV Congresso da ALAS, realizado na UFRGS, em Porto Alegre, de 22 a 26 de agosto de 2005, convidamos todos a continuar na construção de um espaço de latinidade, de trocas solidárias e inclusivas, de criação de redes contra-hegemônicas, a fim de prosseguir a tarefa de gerações de pensadores e cientistas sociais: a expansão institucional e associativa e o desenvolvimento teórico e empírico da Sociologia na América Latina, para o Século XXI.
  • Sociedade e Direito
    n. 13 (2005)

    Sociologias em seu décimo terceiro número apresenta o dossiê Sociedade e Direito que aborda a temática das relações entre sociedade, direito e justiça. O presente número de Sociologias testemunha um renovado interesse, nos dias atuais, pela Sociologia Jurídica, cujas origens se confundem com as da própria Sociologia. Sua presente vitalidade é demonstrada tanto pelo caráter internacional dos colaboradores do dossiê, que reúne trabalhos provenientes de Portugal, Suíça, Espanha e Brasil; quanto pela diversidade dos temas abordados. Na seção Artigos o tema do dossiê é retomado com o trabalho de Fabiana Luci de Oliveira e Virgínia Ferreira da Silva, que discutem, a partir de sua experiência de pesquisa com processos criminais e constitucionais, a utilização de processos judiciais como fonte de dados, focalizando duas implicações metodológicas principais: a questão do poder e a questão da interpretação. O artigo de Wivian Weller aborda aspectos teóricos e metodológicos da contribuião de Karl Mannheim para a pesquisa qualitativa, ao retomar a contribuição do autor na construção de um método interpretativo de pesquisa. Ricardo Luiz de Souza debate a obra de Alberto Torres, enfatizando seus eixos princpais: autoritarismo e nacionalismo. Na seção de Interface, Adroaldo Gaya analisa a transformação do corpo humano natural em direção ao corpo biônico, pleno de artificialidades, indagando: no mundo da tecnologia "Será o corpo humano obsoleto?" Na Resenha desse número, Luiz Antônio Bogo Chies apresenta a obra "Cemitério dos vivos: análise sociológica de uma prisão de mulheres" de Julita Lemgruber.
  • Novas Realidades do Trababalho - Brasil e Portugal
    n. 12 (2004)

    Sociologias, em seu décimo segundo número, apresenta o dossiê Novas Realidades do Trabalho - Brasil e Portugal, que aborda a temática do trabalho no mundo atual, momento de transformações que exigem revisão de conceitos, recriação de alternativas e de imaginação sociológica. Esse dossiê reúne artigos apresentados em encontros realizados no Brasil e em Portugal como parte de atividades do Programa de Cooperação entre Brasil e Portugal, que enovlve os Programas de Pós-Graduação em Administração e em Sociologia da UFRGS; o Centro de Investigação em Sociologia Econômica, do Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa; e, como instituição associada, o Departamento de Ciências da Administração da Universidade Federal de Santa Catarna. Na seção de Artigos Renato Saul reconstitui a trajetória da teoria do capital humano, no contexto da sua sociedade de origem, os Estados Unidos. Luiz Felipe Rocha Benites analisa o processo de "governamentalização" do Estado e as implicações desse processo para a sua própria continuidade. Alexandre Sant'ana de Brito e Lídio de Souza identificam , em seu artigo, as representações sociais sobre a profissionalização de policiais civis e suas relações com o incremento e a manutenção do Estado democrático. Na seção de Interface com o texto As tecnologias de informação: morte ou vida para as Ciências Humanas? Tom Dywer apresenta um debate sobre as novas tecnologias e seus impactos nas Ciências Sociais. Na Resenha " A investigação sociológica em prol de um diagnóstico crítico da sociedade informacional", Daniela Alves de Alves apresenta o livro As Metamorfoses do Emprego: ilusões e problemas da sociedade da informação de Ilona Kovác.
  • Sociedade e Território
    n. 11 (2004)

    Sociologias, em seu décimo primeiro número, apresenta o dossiê Sociedade e Território, que aborda a temática das dinâmicas territoriais e o desenvolvimento, com suas complexidades, universalidades e particularidades. Esse dossiê é resultado de uma rede internacional de pesquisaodres, construída para compartilhar leituras e significados dessas dinâmicas. Na seção Artigos, Fernando Sobral debate os Desafios das Ciências Soiais no desenvolvimento científico e tecnológico contemporâneo, analisando novas tendências do desenvolvimento científico e tecnológico e as políticas recentes de ciência e tecnologia. Luis Felipe Miguel discute a eficácia do Horário de Propaganda Eleitoral Gratuita, em contraposição ao telejornalismo, e analisa a evolução da relação entre os dois nas quatro eleições presidenciais brasileiras do período pós-autoritário. Em Modernidade, disciplina e futebol: uma análise sociológica da produção social do jogador de futebol no Brasil, Francisco Xavier Freire Rodrigues investiga a relação entre modernidade, disciplina e formação do jogador de futebol profissional. Na seção de Interface, Anita Brumer, Katiuci Pavei e Daniel Gustavo Mocelin debatem os aspectos sociais, econômicos, culturais e políticos relativos à inclusão dos portadores de deficiência visual (PDV) em Porto Alegre. Na Resenha desse número, Luiz Antônio Bogo Chies apresenta a obra: As prisões em São Paulo: 1822-1940 de Fernando Salla.
  • Democracia, Sustentabilidade e Mundo Rural na América Latina
    n. 10 (2003)

    Sociologias, em seu décimo número, apresenta o dossiê Democracia, Sustentabilidade e Mundo Rural na América Latina, que aborda a problemática das sociedades rurais no continente. Os textos desse dossiê foram, em sua grande maioria, apresentados no Congresso da Associação Latino-Americana de Sociologia e ilustram a variedade temática e atualidade dos conteúdos das pesquisas sociológicas sobre a agricultura e o meio rural no continente latino-americano. Na seção de Artigos, Cinara L. Rosenfield debate os efeitos do processo de reestruturação produtiva sobre a relação com o trabalho, através do texto: Autonomia outorgada e relação com o trabalho: liberdade e resistência no trabalho na idústria de processo. Eliana dos Reis, por outro lado, trata da temática referente às dinâmicas de construções geracionais e ao trabalho de memória, ativados por determinados agentes sobre um momento histórico específico. O artigo de Eliana, lembra o papel e a importância de André Foster e de seu legado como intelectual e político. Nosso artigo de Interface, assinado por Alie van der Schaaf, está associado ao tema do dossiê e trata de processos emancipatórios de mulheres, em especial peuqenas agricultoras no sul do Brasil. Na Resenha desse número, Marcelo Carvalho Rosa aborda a mais recente publicação do sociólogo Antônio Cândido: "Um funcionário da Monarquia".
  • Teoria Sociológica
    n. 9 (2003)

    Sociologias, em seu número nove, apresenta o dossiê Teorias Sociológica, cujo foco está na análise dos modos pelos quais a sociologia pode contribuir para o diálogo democrático. Em busca de respostas aos questionamentos que desafiam a teoria sociológica hoje, os textos desse dossiê revelam um movimento permanente de elaboração analítico- crítica na construção de cenários em ambientes de incerteza. Na seção de Artigos são debatidos temas variados tais como: as conexões que se estabelecem entre a cidade e seu passado, que Irlys Barreira analisa em seu artigo "A cidade no fluxo do tempo: invenção do passado e patrimônio: ou o significado da experiência da morte na sociedade atual", apresentado por Héctor Leis, que aponta alguns déficits da teoria social contemporânea; e, ainda, as reflexões teóricas que César Cisneros Puebla desenvolve em torno do papel da análise qualitativa assistida por computador no desenrolar da investigação qualitativa. "A Córsega ou as servidões da autenticidade", de Jean-Louis Fabiani é nosso artigo de Interface. Na resenha desse número, Lígia Madeira apresenta o livro "Espaço urbano e criminalidade: lições da Escola de Chicago" de Wagner Cinelli de Paula Freitas.
  • Violências, América Latina
    n. 8 (2002)

    Sociologias em seu oitavo número apresenta o dossiê Violências, América Latina que aborda a temática conflitualidades, trabalhando com o contexto de mundialização no qual nem indivíduos nem grupos parecem reconhecer valores coletivos e do qual emergem as diversas formas de violência, a crise das instituições de controle social e agudização dos conflitos sociais e individuais. Na seção de Artigos os textos estão, ainda que de forma indireta, ligados ao tema do dossiê. Aqui, entretanto, trata-se da violência associada às mudanças no mundo do trabalho. María Alejandra Silva aborda o estado atual do debate sobre os riscos do trabalho em obras da contrução civil em países do Mercosul e Sandro Ruduit escreve sobre a reestruturação no setor de telecomunicações, examinando os padrões de relacionamento interfirmas e de emprego na rede de empresas liderada pela Companhia Riograndense de Telecomunicações (CRT). Na seção Interfaces, a temática da violência está associada à escola. Bernard Charlot com o seu artigo sobre a violência na escola analisa a maneira como os sociólogos franceses abordam essa questão. Na Resenha deste número Iselda Ribeiro discute alguns aspectos da obra de David Bayley sobre a polícia e a sociedade.
  • Saúde e Gerações
    n. 7 (2002)

    Sociologias, em seu décimo número, aborda as transformações associadas ao processo de transição demográfica da sociedade contemporânea e as mudanças nas instituições de saúde e de previdência social, temas do dossiê Saúde e Gerações, organizado pela professora Soraya Maria Vargas Cortes. Elementos centrais das análises explicativas dos processos de reforma do estado, essas transformações podem ser associadas ao fenômeno paradoxal do crescimento da participação política que se efetiva através de novas tecnologias sociais e de novos atores, paralelamente ao declínio em importância política de mecanismos e atores sociais tradicionais. Na seção de Artigos, apresentamos diferentes faces da cultura e da sociedade brasileiras. Em "Tipos e mitos do pensamento brasileiro", Octávio Ianni desenvolve a hipótese que a análise de muitos do pensamento e da cultura dos brasileiros revela muito do que são as configurações e os movimentos da sociedade, em diferentes perspectivas, em distintos momentos. Eduardo Paes Machado e Ceci Vilar Noronha discutem a violência policial do ponto de vista dos segmentos sociais mais atingidos pela mesma e Gabriele dos Anjos aborda a questão da homossexualidade relacionada à problemática de direitos humanos e cidadania. "Na trilha do Jeca: Monteiro Lobato, o público leitor e a formação do campo literário no Brasil", de Enio Passiani é nosso artigo de Interface. Esse número traz, ainda, uma Resenha de William Héctor G. Soto sobre o livro "Reforma agrária: o impossível diálogo" de José de Souza Martins.
  • Ciência e Tecnologia
    n. 6 (2001)

    Sociologias, em seu sexto número, trata dois temas atuais: Ciência & Tecnologia e Globalização. O primeiro tema é assunto do dossiê temático, no qual se analisam algumas questões relativas aos processos de mudança sintetizados pela noção de Sociedade do Conhecimento. A discussão de conceitos tais como inovação tecnológica, inovação social, sustentabilidade e seletividade, entre outros, faz parte desse dossiê. Tais conceitos, entretanto, estão articulados à temática da Globalização, presente na segunda seção da revista, que apresenta artigos sobre a Globalização relacionada a questões como desigualdade, exclusão, trabalho e à própria Sociologia. Outro tema abordado é o da educação e cooperação, como práticas relacionadas. A seção de interfaces contém dois artigos: Moralidade e responsabilidade em tempos sobrios e ...sobre medusas, sexo & ....Apresentamos, ainda, uma nova seção: Entrevistas, que tem como personagem, nesse número, o Secretário de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul, Prof. Dr. Renato Oliveira.
  • Metodologias Informacionais
    n. 5 (2001)

    Sociologias inicia o ano 2001 refletindo a informação. Novas tecnoloigas de recuperação, tratamento e análise de informações qualitativas, a noção de inteligência social artificial, as possibilidades das metodologias informacionais e os impactos de seu uso sobre as Ciências Sociais, a construção de um novo padrão de trabalho para os sociólogos associado às novas formas de tratar a informação. Estes são os temas e questões que trazemos ao debate no Dossiê do quinto número da revista e na seção de interfaces. Na segunda seção são abordadas as temáticas do gênero e da segurança, com os artigos: "Una aproximación a un programa de empleo: el caso del programa servicios comunitários", "Velhos e novos actores en la protesta rural em la Argentina - uma reflexión desde la cuestión de género" e "Sob o signo de Marte: modernização policial, treinamento militar e ritos".
  • Trabalho
    n. 4 (2000)

    Sociologias, em seu quarto número, trata das realidades do mundo do trabalho e suas transformações na atualidade, reunindo estudiosos brasileiros, uruguaios e argentinos, de reconhecida expressão na Sociologia do Trabalho. A segunda seção da revista aborda a problemática de gênero com o artigo identidade sexual e identidade de gênero: subversões e permanências; na seção de Interfaces retoma-se o tema do dossiê desde outra perspectiva, analisando a questão do trabalho informal na Argentina no contexto econômico da década de 90 e a resenha trata do livro Escritos Urbanos de Lúcio Kowarik.
  • Sociedade Civil e Estado Social
    n. 3 (2000)

    Sociologias apresenta seu terceiro número cujo tema central é Sociedade Civil e Estado Social, colocando o debate sobre o funcionamento sócio-político da sociedade na relação que se estabelece entre os cidadãos e o Estado, incluindo a participação civil e a cultura democrática, o atendimento dos cidadãos necessitados e a implementação da democracia no Judiciário e no Legislativo. As análises teóricas e empíricas apresentadas permitem aprofundar o conhecimento sobre várias facetas da sociedade civil e da gestão pública. A segunda seção da revista coloca em debate temas teóricos como a questão da influência hermenêutica no atual referencial epistemológico da Sociologia ou os conceitos de autopoiésis e de sistema social de Niklas Luhmann; uma resenha sobre o livro "Violência em tempo de Globalização" organizado por José Vicente Tavares dos Santos e, na seção de Interfaces, uma análise crítica do filme "Rocco e seus Irmãos" de Luchino Visconti, abordando questões culturais e sociais ligados à problemática da migração.
  • Cidadania e Democracia
    n. 2 (1999)

    Sociologias apresenta seu segundo número cujo tema central é Cidadania e Democracia, assunto de grande interesse para a Sociologia e para a sociedade brasileiras. Situando-se no limiar entre a Sociologia e a Ciência Política analisa, por um lado, a forma de inserção e de participação dos cidadãos comuns no processo decisório da sociedade e, por outro lado, o exercício do poder e da autoridade na sociedade. Atualizando a abordagem de autores clássicos com a contribuição de autores contemporâneos e fundamentados em estudos sobre a realidade concreta, os artigos do dossiê cidadania e democracia promovem tanto o debate teórico que envolve a análise dessas questões quanto as dimensões empíricas em que elas se expressam. A segunda seção da revista traz o debate temas como a perspectiva dos vulneráveis sobre o ensino básico e seus desafios e a contribuição da teoria social feminista para o entendimento das desigualdades de gênero na velhice. A seção de Interfaces traz um artigo antropológico sobre sociabilidade e reciprocidade masculinas em grupos populares de Porto Alegre, além de resenhas sobre o livro de Manuel Castells intitulado "A Era da Informação, Sociedade e Cultura", volumes 1 e 2.
  • Conflitualidades
    n. 1 (1999)

    Sociologias é uma revista de orientação pluralista que busca criar um espaço para a expressão das diversas correntes existentes no campo das ciências sociais, colocando em debate temas e abordagens que constituem a Sociologia. O primeiro número de Sociologias tem por tema central Conflitualidades, trazendo dimensões teórico-metodológicas da Sociologia da Conflitualidade e debates sobre conflitos e violências na sociedade contemporânea, analisados nos artigos constantes do dossiê temático. A segunda seção da revista contém artigos que discutem temáticas como trabalho, exclusão, poder; uma resenha apresentando o livro "A Verdade e as Formas Jurídicas", de Michel Foucault; um ensaio literário sobre uma escritora profundamente inserida na realidade em que viveu: Clarice Lispector, e um poema. Convidamos o leitor a percorrer as páginas do primeiro número de Sociologias, com a convicção de que encontrará, aqui, um espaço contemporâneo de conhecimento sociológico.
41-60 de 60