Cotidianos de Manguinhos

Autores

  • Comissão Editorial Sociologias Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Henrique Luiz Cukierman
  • Márcia de Oliveira Teixeira

Palavras-chave:

manguinhos, ciência cordial, estudos de laboratório

Resumo

O artigo trata do dia-a-dia do Instituto de Manguinhos nas primeiras décadas do século 20, com destaque para as relações de trabalho no interior dos laboratórios. Aquele cotidiano revela que, apesar de sua pequenez, o quadro técnico-científico derivava sua extraordinária produtividade da diversidade de suas atividades. Tratava-se de pessoal dotado de excepcional flexibilidade tanto na ação quanto na eleição de seu objeto de estudo. Dito em bom português, o cientista de Manguinhos era um faz-tudo. Uma hipótese quanto à tamanha flexibilidade relaciona-se à compreensão da ciência local enquanto parte das práticas culturais locais. Seguindo a trilha aberta pelo conceito de homem cordial, conforme definido por Sergio Buarque de Holanda em seu Raízes do Brasil, pode-se perguntar se existiria em Manguinhos a ciência que lhe decorre, a saber, a ciência cordial. O artigo oferece algumas possibilidades de resposta a partir do exame das relações que se estabeleceram entre os cientistas e seus ‘subalternos’, os ajudantes de pesquisa, nas quais o rigor e o formalismo das práticas científicas de laboratório conviveram com relações patriarcais tipicamente brasileiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique Luiz Cukierman

Programa de Engenharia de Sistemas e Computação - PESC - COPPE / UFRJ e do programa de pós-graduação em História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia da UFRJ.

Márcia de Oliveira Teixeira

Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio - EPSJV - FIOCRUZ.

Downloads

Como Citar

SOCIOLOGIAS, C. E.; CUKIERMAN, H. L.; TEIXEIRA, M. de O. Cotidianos de Manguinhos. Sociologias, [S. l.], v. 10, n. 19, 2008. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/5669. Acesso em: 9 dez. 2022.