Língua e discurso em Flusser e Foucault: um diálogo à espreita?

Autores

  • Marcos Beccari Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583202051.362-378

Palavras-chave:

Vilém Flusser. Michel Foucault. Língua. Discurso. Pós-estruturalismo.

Resumo

Este ensaio, de caráter heurístico, propõe uma aproximação conceitual entre Flusser e Foucault, particularmente entre o primeiro livro de Flusser e a chamada fase arqueológica de Foucault. Após uma breve contextualização do panorama estruturalista ao qual ambos buscavam responder, são apresentadas quatro “cenas”, ou recortes temáticos, que preparam um diálogo que nunca existiu. O diálogo é traçado em torno da noção da palavra enquanto matéria irredutível a partir da qual o pensamento e a realidade podem se dar. Por fim, defende-se que, enquanto Foucault visava desnaturalizar as palavras, Flusser tratava de retraduzi-las, como um meio de amplificar a realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Beccari, Universidade Federal do Paraná

Professor do Depto. de Design Gráfico e do PPG-Design da UFPR. Doutor em Educação pela USP.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

Beccari, M. “Língua E Discurso Em Flusser E Foucault: Um diálogo à Espreita?”. Intexto, nº 51, dezembro de 2020, p. 362-78, doi:10.19132/1807-8583202051.362-378.

Edição

Seção

Dossiê Flusser: 100 anos