Imaginários Geopolíticos no México a partir da Grande Guerra de 1917

Daniel Gutiérrez-Martínez

Resumo


Ainda que bem poucas reflexões tenham sido feitas sobre a interconexão entre os acontecimentos da Grande Guerra e os eventos locais no México, sobretudo em termos econômicos, menos ainda têm-se levado em conta seus impactos em termos simbólicos e culturais. Consideramos que as relações entre EUA e América Latina (em especial o México), a partir da Grande Guerra, foram tensionadas permanentemente, deixando marcas culturais inegáveis não só de desconfiança, ressentimento e temor, como também de consideração e sedução entre as duas regiões que tem contribuído para o estabelecimento de percepções ambivalentes de ambas, ao longo dos últimos 100 anos. Em termos analíticos, relacionar processos culturais-identitários com eventos históricos específicos, situando-os como gatilhos de sentimentos e percepções coletivamente latentes, que nos permitem compreender ações, reações e práticas cotidianas de um grupo, povo ou comunidade é o que chamamos Imaginário Geopolítico.

Palavras-chave


México. Grande Guerra. Imaginário político. Colombus.

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583201841.35-57



Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)