Ser e Estar professor em modos de fabular

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2357-9854.105140

Palavras-chave:

Formação docente. Artes Visuais. Fabulação. Diferença. Acontecimento.

Resumo

Este texto problematiza a relação entre ser e estar professor em uma escrita, pautada na fabulação, que pode vir a contribuir com a formação docente em Artes Visuais, compreendida não como a representação de um ideal, mas como uma diferença. Como referência teórica, o trabalho pauta-se na faculdade fabuladora, retomada de Henri Bergson por Gilles Deleuze, de modo a potencializar a criação entre arte e vida, uma vez que abre no real a possibilidade do acontecimento — que se apresenta não como profundidade a ser alcançada, mas como superfície —, em que pode vir a emergir variáveis intensivas de um pensamento sem imagens naquela formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Ramos Nunes, Universidade do Estado de Santa Catariana UDESC, Florianópolis/SC

Graduação em licenciatura em Artes Visuais pela UDESC (2013). Especialização em Mídias na Educação pela UAB/IFSC (2015). Mestrado em Artes Visuais do PPGAV/UDESC (2017). Doutoranda em Artes Visuais do PPGAV/UDESC (Turma 2018), Linha Ensino das Artes Visuais, sob orientação da Profa Dra Elaine Schmidlin. Arte Educadora da FCBadesc e Prof. Efetiva de Artes na EEB José Matias Zimmermann.

Elaine Schmidlin, Universidade do Estado de Santa Catariana UDESC, Florianópolis/SC

Professora no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais e no curso de Licenciatura em Artes Visuais da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Membro do Grupo de Pesquisa [Entre] Paisagens UDESC/CNPq, em experimentações com a filosofia da diferença, a arte e a educação.

Referências

BERGSON, Henri. As duas fontes da moral e da religião. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

CALVINO, Italo. Todas as cosmicômicas. 2. ed. rev. e atual. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

De CAMPOS, Haroldo. Galáxias. São Paulo: Editora 34, 2004.

DELEUZE, Gilles. Conversações. São Paulo: Editora 34, 2000.

DELEUZE, Gilles. Crítica e clínica. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2011.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. 2. ed. rev. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

DELEUZE, Gilles. Lógica do sentido. São Paulo: Editora Perspectiva, 2003.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? 2. ed. Rio de Janeiro: Editora 34, 1997.

HALFON, Eduardo. O Boxeador polaco. Rio de Janeiro: Rocco, 2014.

MELVILLE, Herman. Bartleby, o escriturário: uma história de Wall Street. Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

MURAKAMI, Haruki. Romancista como vocação. São Paulo: Alfaguara, 2017.

PEREIRA, Marcos Villela. Estética da professoralidade: um estudo crítico sobre a formação do professor. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2013.

ANDRADE, Elenise Cristina Pires; SCARELI, Giovana. Signos irrompem e atraversam: pela estrada afora eu vou bem sozinha com meus sweet dreams... In: SCARELI, Giovana; FERNANDES, Priscila (orgs.). O que te move a pesquisar? Ensaio e experimentações com cinema, educação e cartografia. Porto Alegre: Sulina, 2016.

SKLIAR, Carlos. A escuta das diferenças. Porto Alegre: Mediação, 2019.

SKLIAR, Carlos. Desobedecer a linguagem: educar. Belo Horizonte: Autêntica Editora. 2014.

VILA-MATAS, Enrique. Exploradores do abismo. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

Downloads

Publicado

2021-03-27

Como Citar

NUNES, C. R.; SCHMIDLIN, E. Ser e Estar professor em modos de fabular. Revista GEARTE, [S. l.], v. 8, n. 1, 2021. DOI: 10.22456/2357-9854.105140. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/gearte/article/view/105140. Acesso em: 25 jun. 2022.

Edição

Seção

Ensino de Artes Visuais em diferentes campos