AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA NA ALOCAÇÃO DOS ATIVOS NAS COMPANHIAS SEGURADORAS BRASILEIRAS

Autores

  • Frederike Mette
  • André Luís Martinewski

Palavras-chave:

Companhias seguradoras no Brasil. Otimização na alocação de ativos. Teoria clássica de seleção de carteiras.

Resumo

O objetivo do presente trabalho é avaliar se as companhias seguradoras no Brasil otimizaram a alocação de seus ativos no período de 2001 a 2007, analisando-as anualmente e durante esse período. Dessa forma, baseando-se na carteira de investimentos das seguradoras selecionadas e na teoria clássica de seleção de carteiras, formulada por Harry Markowitz em seu artigo “Portfolio selection” (1952), foi possível avaliar a eficiência da alocação de todos os ativos pela aplicação das fronteiras eficientes. Assim, o trabalho busca ilustrar a aplicação de um método de avaliação de ativos, bastante semelhante ao proposto por Ricardo Leal, André Silva e Túlio Ribeiro em seu artigo “Alocação ótima de ativos em fundos de pensão” (2001), em que, por meio da simulação de fronteiras eficientes, buscou-se considerar a existência dos erros de estimação presentes nos retornos e covariâncias utilizados na teoria de Markowitz. Foram utilizadas como amostra para este estudo as companhias seguradoras mais representativas em 2007, de acordo com os prêmios ganhos e sinistros retidos. Os resultados mostraram que a maioria dessas instituições alocou seus ativos de maneira eficiente durante o período estudado, com exceção aos anos de 2002 e 2004, para os quais a construção das fronteiras estatisticamente equivalentes não foi possível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

METTE, F.; MARTINEWSKI, A. L. AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA NA ALOCAÇÃO DOS ATIVOS NAS COMPANHIAS SEGURADORAS BRASILEIRAS. ConTexto - Contabilidade em Texto, Porto Alegre, v. 9, n. 16, 2009. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/ConTexto/article/view/11698. Acesso em: 27 set. 2022.