Imaginário, subjetividade e tecnologia na formação docente em artes visuais

Cláudia Mariza Mattos Brandão, Cláudio Tarouco de Azevedo

Resumo


A influência e o impacto do desenvolvimento tecnológico sobre as pessoas do século XXI atestam a importância de discussões versando sobre o assunto no âmbito da educação. Amparado principalmente em Gilbert Durand e Félix Guattari, o artigo problematiza as mudanças operadas na ordem visual, processadas nos jogos técnicos que originam as imagens, suas reverberações nas subjetividades e os processos educativos, colocando em jogo os mecanismos perceptivos e o envolvimento dos espectadores no campo de intercâmbio constituído pelas imagens. Sendo assim, o texto visa refletir sobre o impacto da tecnologia sobre a vida em sociedade e o papel fundamental da educação, não somente como possibilidade de capacitação a práticas técnicas, mas, principalmente, como utilização dos novos meios em atividades expressivas e reflexivas, de produção de subjetividade, abordando práticas pedagógicas vinculadas à formação docente em Artes Visuais e seus resultados.


Palavras-chave


Artes Visuais. Tecnologias Contemporâneas. Imaginário. Subjetividade. Formação Docente.

Texto completo:

PDF

Referências


BOURRIAUD, Nicolas. Estética relacional. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

BRANDÃO, Cláudia Mariza Mattos. Entre photos, graphias, imaginários e memórias: a (re)invenção do ser professor. 2012. 154f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. Disponível em: http://repositorio.ufpel.edu.br:8080/bitstream/123456789/1678/1/Claudia%20Mariza%20Mattos%20Brandao_Tese.pdf

COUCHOT, Edmont. A tecnologia na arte: da fotografia à realidade virtual. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.

DURAND, Gilbert. A imaginação simbólica. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2000.

FERRARA, Lucrécia D’Aléssio. Leitura sem palavras. São Paulo, Ática, 2002.

GUATTARI, Félix. Caosmose. São Paulo: Ed. 34, 1992.

GUATTARI, Félix. As três ecologias. Campinas: Papirus, 1993a.

GUATTARI, Félix. Da produção de subjetividade. In: PARENTE, André (Org.). Imagem-máquina: a era das tecnologias do virtual. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993b. cap. 16, p. 177-191.

GUATTARI, Félix; ROLNIK, Suely. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Vozes, 2005.

LÓPEZ Quintás, Alfonso. Estética. Petrópolis, RJ: Vozes, 1992.

MATTELART, Armand; MATTELART, Michèle. História das teorias da comunicação. São Paulo: Loyola, 2003.

MEIRA, Marly Ribeiro. Educação estética, arte e cultura do cotidiano. In.: PILLAR, Analice Dutra (org.). A educação do olhar no ensino das artes. Porto Alegre: Mediação, 2006.

NEBOT, Joaquín Rodriguez. Multiplicidad y subjetividad. Montevideo: Nordan Comunidad, 1994.

OKAMOTO, Jun. Percepção ambiental e comportamento. São Paulo: Plêiade, 1999.

RESTANY, Pierre. O manifesto do Rio Negro. Alto Rio Negro, 3 de agosto em 1978. Disponível em: https://www.ufmg.br/revistaufmg/downloads/21/13_pag260a277_fabriciofernandino_franskrajcberg.pdf Acesso em: 28 jan. 2019.

ROLNIK, Suely. Uma insólita viagem à subjetividade: fronteiras com a ética e a cultura, s/d. Disponível em: http://caosmose.net/suelyrolnik/pdf/subjeticabourdieu.pdf Acesso em: 13 jan. 2019.

SILVA, Juremir Machado da. As tecnologias do imaginário. 2ª ed. Porto Alegre: Editora Sulina, 2006.




DOI: https://doi.org/10.22456/2357-9854.90734

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Revista GEARTE

ISSN 2357-9854 | e-ISSN 2596-3198 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil

http://www.seer.ufrgs.br/gearte

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.