Aprendizagem de escrita de língua de sinais pelo sistema signwriting: línguas de sinais no papel e no computador

Marianne Rossi Stumpf

Resumo


Essa tese trata de como o sistema SignWriting pode servir de suporte a uma nova proposta pedagógica ao ensino
da escrita de língua de sinais e letramento para crianças surdas usuárias da Língua Brasileira de Sinais - Libras e da
Língua de Sinais Francesa - LSF. Escrever deve ser uma atividade significativa para a criança. No caso da criança
surda, escrever deve se fundamentar em sua competência na língua de sinais, sem precisar da intermediação da
língua oral. Colocamos a hipótese de que a criança surda, em um ambiente onde ela e seus colegas se comunicam
em língua de sinais, efetivamente tenta escrever sinais, quando é incentivada a fazê-lo. Em nossos experimentos,
usamos o sistema SignWriting para mostrar ás crianças surdas (e a seus pais e professores) como escrever textos
em línguas de sinais de ambas as formas: manuscrita e impressa, usando o programa Sign Writer para editar textos
em línguas de sinais. Nossas observações sugerem a hipótese de que as crianças evoluem em sua escrita pois
muitos signos e frases que elas escreveram não foram sugeridos pela experimentadora, nem por outro meio, mas
surgiram espontaneamente. Pudemos observar que a introdução de um software como o Sign Writer ou o SW-Edit
nas classes para introduzir as TI traz a essas aulas muito maior interesse do que quando usamos um editor de textos
na língua oral. Também as produções das crianças são mais sofisticadas. Atendendo á solicitação de lingüistas
franceses, realizamos ainda algumas transcrições experimentais, de corpus vídeos sinalizados para a escrita de
língua de sinais pelo sistema SignWriting, com o objetivo de observar o funcionamento do sistema.



DOI: https://doi.org/10.22456/1982-1654.9717

Direitos autorais



INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática. e-ISSN: 1982-1654 ISSN Impresso:1516-084X