O Patrimônio como processo: uma ideia que supera a oposição material-imaterial

Willian Eduardo Righini de Souza, Giulia Crippa

Resumo


Pretende analisar a divisão dos patrimônios culturais em materiais e imateriais. A partir de revisão de literatura e resoluções oficiais apresentam-se os discursos e condições que produziram esta categorização historicamente. Em seguida, sustenta-se que todo bem cultural possui ambas as características, demonstrando que tal oposição é apenas circunstancial e não se sustenta na relação da sociedade com os seus produtos culturais. Assim sendo, o artigo contribui para uma reflexão sobre os estudos patrimoniais e as abordagens produzidas por diferentes disciplinas, entre elas a Ciência da Informação.

Palavras-chave


Patrimônio cultural. Materialidade. Imaterialidade.

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)