A retomada dos laços diplomáticos entre Cuba e EUA: entre o fim da Guerra Fria e a normalização das relações?

Marcos Antonio da Silva

Resumo


O presente trabalho discute o restabelecimento das relações diplomáticas entre Cuba e EUA, oficializado em 2014, procurando analisar sua dinâmica e os desafios para uma normalização efetiva. Para tanto, discute as motivações, de parte a parte, que conduziram a este processo e determinaram a retomada dos laços diplomáticos, rompidos desde princípios dos anos 60, substituindo, ainda que parcialmente, a política conflituosa que havia imperado em tal relação. Em seguida, analisa as percepções e as principais ações desde o anúncio de tal retomada e discute as demandas apresentadas por cada parte para uma efetiva normalização. Neste sentido, apresenta as demandas cubanas (fim do embargo econômico, reparações de recursos, relações abertas e transparentes, fim de programas destinados a destituir governo do país, entre outras) e as demandas estadonidenses (reformas políticas e econômicas, sociedade civil e direitos humanos, indenizações, formas de propriedade, entre outras), procurando demonstrar que há um longo caminho a percorrer até a normalização efetiva de tal relação. Tal caminho será determinado tanto pela solução a tais demandas como pela dinâmica da política interna de cada país que pode conduzir, ou não, a superação da lógica do conflito.

Palavras-chave


Cuba; EUA; Guerra-Fria; Normalização.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.69346



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS