O imaginário da maternidade em Frida Kahlo

Ciro Inácio Marcondes, Vanessa Daniele de Moraes

Resumo


O imaginário da dor e da maternidade em Frida Kahlo suscita uma reflexão sobre uma harmonia entre as imagens presentes na consciência, em contraposição com o campo onírico. Neste sentido, como pensar o surrealismo com que muitos críticos insistem em rotular a arte de Frida? Nosso método se baseia na análise de algumas pinturas de Frida e de seu diálogo com o pensamento fenomenológico acerca das imagens, questionando o movimento surrealista como mera manifestação do inconsciente na arte. A noção de maternidade está em concordância com o pensamento dos agrupamentos sociais e de esferas, postulado pelo filósofo Peter Sloterdijk. Nosso objetivo é averiguar de que maneira os objetos artísticos de Frida Kahlo revelam uma existência da dor e do maternal enquanto dado imediato da consciência.

Palavras-chave


Imaginário da maternidade. Frida Kahlo. Aborto. Dor. Consciência.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19132/1807-8583201740.114-132



Intexto | E-ISSN 1807-8583

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: intexto@ufrgs.br

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos