GRADUAÇÃO EM DIREITO NO BRASIL: COMO NO ENSINO EM SAÚDE, DESAFIOS DA INTERDISCIPLINARIDADE

Liliane Dreyer da Silva Pastoriz, Roger dos Santos Rosa

Resumo


O artigo apresenta uma reflexão sobre asituação da graduação em Direito no Brasil, buscando analisar a concepção vigente nesse campo disciplinar. À semelhança do contexto do ensino em saúde, enfoca-se em particular a condição de extrema indistinção entre prática, teoria e ensino jurídicos no país. Verifica-se o estado das pesquisas realizadas nas graduações em Direito em razão de ser obrigatório para o estudante a realização de disciplinas vinculadas a estágios e de trabalho de conclusão de curso, como em cursos da Saúde. Analisam-se as pesquisas efetuadas nos cursos de graduação em Direito em relação a outras disciplinas das ciências humanas, constatando-se que pesquisas qualitativas e quantitativas são em menor número em relação às caracterizadas como revisão de literatura.


Texto completo:

PDF

Referências


BOBBIO, N. Igualdade e liberdade. 3. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 1997.

BRASIL. Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, Seção 1, 5 jul. 1994, p. 10093.

BRASIL. Emenda Constitucional n. 90, de 2015. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, Seção 1, 16 set. 2015, p. 1.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução Conselho Nacional da Educação-Câmara de Educação Superior nº 9. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, Seção 1, 1 out. 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução Conselho Nacional da Educação-Câmara de Educação Superior nº 5. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, Seção 1, 18 dez. 2018, p. 122.

FRAGALE FILHO, R.; VERONESE, A. A pesquisa em Direito: diagnóstico e perspectivas. RBPG - Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 1, n. 2, p. 53-70, nov. 2004. Disponível em: ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/download/40/37. Acesso em: 4 dez. 2019.

IGNACIO, C. D.; BARBOSA, M. A. Estágio supervisionado na graduação em direito: a teoria mascarada. REDES - Revista Eletrônica Direito e Sociedade, Canoas, v. 4, n. 2, p. 105-127, nov. 2016. Disponível em: https://revistas.unilasalle.edu.br/index.php/redes/article/view/2318-8081.16.27/pdf. Acesso em: 4 dez. 2019.

NOBRE, M. Apontamentos sobre a pesquisa em direito no Brasil. Cadernos Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, p. 3-19, nov. 2009. Disponível em:

https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/2779/Pesquisa_Direito_Cadernos_Direito_GV.pdf? Acesso em: 4 dez. 2019.

PAIVA, K. C. M. et al. Competências profissionais e interdisciplinaridade no Direito: percepções de discentes de uma faculdade particular mineira. Rev. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 2, p. 355-373, maio/ago. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v37n2/v37n2a10.pdf. Acesso em: 4 dez. 2019.

SANTOS, F. F. F.; SOARES, M. F. A estética do Direito e o acesso à justiça: a linguagem do Direito como obstáculo ao Sistema de Justiça. Direito e Cidadania. Direito e cidadania, Frutal, v. 2, p. 1-19, 2017. Disponível em: revista.uemg.br/index.php/direitoecidadania/article/view/2925. Acesso em: 4 dez. 2019.

SARLET, I. W. A eficácia dos direitos fundamentais. 6. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2006.

WOLKMER, A. C. Para uma sociologia jurídica no Brasil: desde uma perspectiva crítica e descolonial. Revista Brasileira de Sociologia do Direito, [S.l.], v. 4, n. 3, p. 17-38, set./dez. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.