BILDUNG E A NOTA DE 100 DÓLARES: ANÁLISE DO FILME “QUEM QUER SER UM MILIONÁRIO” SOB A ÓTICA DA FORMAÇÃO PARA OS FRANKFURTIANOS

Lílian Bambirra de Assis, Carolina Assunção e Alves, Mariana Geisel Martins, Luana Jéssica Oliveira Carmo

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar como o sentido da formação para os Frankfurtianos, em especial Adorno, está presente no filme “Quem quer ser um Milionário”. Para isso, foi feita uma reflexão sobre a teoria crítica e o conceito de formação para os Frankfurtianos. Utilizando a metodologia de análise fílmica foi possível explicar as reflexões da teoria crítica acerca da formação (Bildung) e semiformação (Halbidung), voz ativa (Mundigkeit), barbárie e desbarbarização. O contexto apresentado pelo filme realça a dimensão social e cultural dessas categorias e possibilita o esclarecimento de como a formação em sociedade não se restringe aos muros da escola, que, por sua vez, não deve se ater a desenvolver sujeitos adaptados, mas sim preparados para a reflexão crítica e para a transformação.


Palavras-chave


Teoria crítica. Escola de Frankfurt. Análise Fílmica. Formação. Semi-formação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




REAd - Revista Eletrônica de Administração 

Escola de Administração - UFRGS |

Rua Washington Luiz, 855 - 1° Andar - Porto Alegre/RS - Brasil | CEP: 90010-460

Correio eletrônico: ea_read@ufrgs.br