CRIMINALIDADE FEMININA: outra versão dos papéis da mulher

Autores

  • Comissão Editorial Sociologias Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • MIRIAM RODRIGUES BREITMAN

Resumo

O artigo analisa alguns aspectos que caracterizam o crime feminino e a atuação da mulher no universo criminal, a partir da ótica de detentas da Penitenciária Feminina Madre Pelletier, em Porto Alegre. Analisa, ainda, aspectos relacionados ao pequeno percentual de mulheres prisioneiras, considerando o total de presos no País. Apesar de duplamente “criminalizadas” por não agirem de acordo com a docilidade esperada das mulheres, os controles da polícia e da justiça são mais brandos em relação à mulher que comete um delito e seus companheiros, quando possível, também tentam eximi-las da culpa. Por outro lado, por sua socialização ainda fundada nos papéis femininos tradicionais, a mulher tende a realizar menos crimes, mas desempenha atividades condizentes com esses papéis também no universo criminal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

MIRIAM RODRIGUES BREITMAN

Doutora em Sociologia pela Universidad de Salamanca - Espanha; Mestre em Educação pela UFRGS - Porto Alegre, RS. Atualmente, é pesquisadora do Grupo de Estudos da Violência do Programa de Pós-graduação em Sociologia do IFCH – UFRGS, sendo bolsista do CNPq através do programa de bolsas para Recém-doutor.

Downloads

Como Citar

SOCIOLOGIAS, C. E.; RODRIGUES BREITMAN, M. CRIMINALIDADE FEMININA: outra versão dos papéis da mulher. Sociologias, [S. l.], v. 1, n. 1, 2008. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/6904. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê