Rastreando os territórios da aprendizagem organizacional no Brasil

Autores

  • Fagner Carniel Universidade Estadual de Maringá
  • Bruno Luiz Américo Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.1590/15174522-020004721

Palavras-chave:

Análise de Redes Sociais, Ciências da Administração, Estudos Organizacionais, Sociologia da Ciência, Teoria Ator-Rede

Resumo

O artigo pretende contribuir para o debate sobre os modos de produção do conhecimento científico no Brasil, por meio da análise dos fluxos e das mobilizações que ajudaram a constituir uma especialidade na área da Administração – a disciplina de Aprendizagem Organizacional. Como ponto de partida, a investigação assume uma coletânea de textos que sistematiza alguns dos principais investimentos
empreendidos nas últimas duas décadas por especialistas brasileiros. A partir desse artefato científico, propomos seguir os fios que conectam pessoas, ideias e instituições em torno de uma rede acadêmica em expansão no país. Nesse sentido, o texto apresenta um conjunto de relações intelectuais e profissionais que favoreceram a postulação das formas legítimas e estáveis de investigação dos processos de aquisição do conhecimento como práticas corporativas situadas. Ao final, não teremos a pretensão de reconstituir a história da aprendizagem organizacional, mas de oferecer uma visão alternativa ao modo como a área tradicionalmente se identifica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fagner Carniel, Universidade Estadual de Maringá

Professor Adjunto do Departamento de Ciências Sociais na  Universidade Estadual de Maringá.

Bruno Luiz Américo, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutorado em Administração pela Universidade Federal do Espírito Santo

Downloads

Publicado

2018-04-17

Como Citar

CARNIEL, F.; AMÉRICO, B. L. Rastreando os territórios da aprendizagem organizacional no Brasil. Sociologias, [S. l.], v. 20, n. 47, 2018. DOI: 10.1590/15174522-020004721. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/60726. Acesso em: 4 out. 2022.