Famílias, poder e riqueza. Redes políticas no Paraná em 2007

Autores

  • Comissão Editorial Sociologias Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Ricardo Costa de Oliveira

Palavras-chave:

redes políticas de poder, redes sociais dominantes, grupos dominantes, genealogia do poder

Resumo

A estrutura de poder não é uma abstração, ela se materializa em situações objetivas de posse de riqueza, se reproduz e se consolida graças a redes políticas, sociais e de parentesco. As redes políticas de poder são definidas neste artigo como conexões de interesses envolvendo, basicamente, empresários e cargos políticos no aparelho de Estado, no executivo, legislativo e no judiciário e, também, em outros espaços de poder buscando assegurar vantagens e privilégios para os participantes. Além da ideologia que lhe reforça a legitimidade, as redes podem utilizar artifícios tais como o nepotismo, o clientelismo e a corrupção. O estado do Paraná é apresentado como exemplo de modernidade, de racionalidade, de adesão aos valores e às práticas de um capitalismo regido pelos princípios de impessoalidade e de eficiência. Neste artigo mostraremos que isso é um mito. Para tanto, procederemos à genealogia de famílias que detêm poder e riqueza na atualidade, mas que estão associadas aos interesses dominantes há quase 300 anos. Nomes ilustres da política e da economia compõem uma surpreendente e intricada rede de relações familiares, de parentesco e de privilegiamento que assegura a estrutura do poder nas mais diversas conjunturas econômicas e políticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Costa de Oliveira

Sociólogo. Professor Adjunto da Universidade Federal do Paraná. Brasil.

Downloads

Como Citar

SOCIOLOGIAS, C. E.; DE OLIVEIRA, R. C. Famílias, poder e riqueza. Redes políticas no Paraná em 2007. Sociologias, [S. l.], v. 9, n. 18, 2008. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/5652. Acesso em: 9 dez. 2022.