Sociologia da alta burguesia

Autores

  • Comissão Editorial Sociologias Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Michel Pinçon
  • Monique Pinçon-Charlot

Palavras-chave:

Teoria Social, Classes sociais, Sociologia da burguesia, Sociologia da classe dominante, Metodologia de pesquisa sobre classes sociais

Resumo

Enquanto a pobreza é estudada sob todos os ângulos possíveis, as classes mais ricas raramente são objeto de análises sociológicas. Neste artigo são discutidas as causas desse desequilíbrio, a começar pela timidez dos sociólogos. Os obstáculos metodológicos provém, em parte, da origem social dos pesquisadores que ficam mais a vontade nas pesquisas sobre a população pobre e os movimentos sociais e inibidos em face das classes abastadas. A esse problema subjetivo se agrega um segundo relativo ao desinteresse ou à recusa dos ricos em fornecer informações tornando a avaliação das fortunas um exercício complexo. O tema sofre também preconceitos teóricos e sociais tendo pouca legitimidade acadêmica; o pesquisador é frequentemente acometido de um mal-estar deontológico que dificulta sua relação com o objeto de estudo. Por fim, o distanciamento social se traduz numa ambígua relação de dominação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michel Pinçon

Sociólogo, diretor de pesquisa no CNRS (Centro Nacional da Pesquisa Científica) e trabalha no CSU (Culturas e Sociedades Urbanas) do IRESCO (Instituto de Pesquisa sobre as Sociedades Contemporâneas) Paris. França.

Monique Pinçon-Charlot

Socióloga, diretora de pesquisa no CNRS (Centro Nacional da Pesquisa Científica) e trabalha no CSU (Culturas e Sociedades Urbanas) do IRESCO (Instituto de Pesquisa sobre as Sociedades Contemporâneas) Paris. França.

Downloads

Como Citar

SOCIOLOGIAS, C. E.; PINÇON, M.; PINÇON-CHARLOT, M. Sociologia da alta burguesia. Sociologias, [S. l.], v. 9, n. 18, 2008. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/5647. Acesso em: 10 dez. 2022.