O novo na sociologia latino-americana.

Autores

  • Comissão Editorial Sociologias Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Lucio Oliver Costilla

Palavras-chave:

América Latina, Sociología latino-americana, empirismo, teoria social, civilização, crise política, democracia, exclusão, Estado neoliberal, sociedade civil, público estatal

Resumo

O artigo analisa varias caraterísticas atuais das ciências sociais latino-americanas em paralelo ao desenvolvimento da América Latina nos últimos anos. O ponto de partida é o sinal de que a combinação contraditória no continente latino-americano entre uma intelectualidade que tem um elevado nível cultural e a existência de movimentos sociais e políticos numa situação social explosiva, gera amplas possibilidades para o desenvolvimento da sociologia. A crise das ciências sociais acompanha estas mudanças significativas, na busca de novas perspectivas analíticas capazes de explicar o ritmo de mudanças contemporâneas. A rigor, no artigo, tenta-se demonstrar que o que a sociologia latino-americana tem como novo é um regresso ao pensamento crítico que a caracterizou no passado. Uma das mais importantes heranças da história sociológica latino-americana é o estudo e a classificação, desde uma perspectiva de totalidade, das estruturas sociais e dos processos sociopolíticos como fundamento para analisar o posicionamento dos atores e a dinâmica das instituições sociais. Assim, abre-se espaço para uma saudável tendência nas ciências sociais: superar o empirismo, reencontrando-se com a teoria. Uma necessidade fundante, hoje, para a América Latina é atualizar a sua procura de desenvolvimento: como estar à altura do mundo, como universalizar-se para viver o momento histórico atual com todas as potencialidades sociais possíveis, superando formas de produção e de vida atrasadas e caducas. E mais: como co-participar na crítica das novas formas modernas e pós-modernas, vislumbrando novos modelos de civilização, fazendo a crítica da democracia liberal e dos Estados nacionais de concorrência de latino-americanos, e impulsionando a recuperacão do público democrático perante a tendência ao autoritarismo estatal. Os aportes que a América Latina pode dar à crítica e à renovação da democracia política, à reforma da produção e da vida, ao humanismo e ao comunitarismo radical renovado, têm que se encontrar com os velhos objetivos de libertação nacional e social do mundo atual, adaptados às novas condições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucio Oliver Costilla

Doutor em Sociologia pela Universidade Nacional Autónoma do México. Professor titular do Centro de Estudos Latino-americanos, Faculdade de Ciências Políticas e Sociais, Universidade Nacional Autónoma do México.

Downloads

Como Citar

SOCIOLOGIAS, C. E.; COSTILLA, L. O. O novo na sociologia latino-americana. Sociologias, [S. l.], v. 7, n. 14, 2008. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/5549. Acesso em: 5 dez. 2022.