Diálogos intermitentes: relações entre Brasil e América Latina

Autores

  • Comissão Editorial Sociologias Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Lúcia Lippi Oliveira

Palavras-chave:

América Latina, modernização, sociologia mertoniana na América Latina, CLAPCS, Revista América Latina

Resumo

A América chamada latina viveu, desde a segunda metade do século XIX, obcecada pelo futuro e com dificuldades para consolidar suas comunidades nacionais. Diferentes correntes modernizadoras, entre elas o cientificismo, se defrontaram-se com correntes nacionalistas, preocupadas com a identidade, com o passado representado pelas culturas indígena e ibérica. É nesse quadro histórico-cultural que são mencionadas as relações de identidade e de diferenciação entre o Brasil e demais países da América Latina. O artigo vai destacar a sociologia dos anos 1950 e 1960 como desdobramentos da matriz da Cepal, e a constituição de duas variantes do fazer sociológico: a concepção mertoniana e a mannheiniana. Por fim, apresenta o CLAPCS e a Revista América Latina, atrelando-os à FLACSO, como espaços de atuação e circulação de uma elite de sociólogos mertonianos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lúcia Lippi Oliveira

Socióloga, pesquisadora e professora do CPDOC/FGV.

Downloads

Como Citar

SOCIOLOGIAS, C. E.; OLIVEIRA, L. L. Diálogos intermitentes: relações entre Brasil e América Latina. Sociologias, [S. l.], v. 7, n. 14, 2008. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/5544. Acesso em: 5 dez. 2022.