Será o corpo humano obsoleto?

Autores

  • Comissão Editorial Sociologias Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Adroaldo Gaya

Palavras-chave:

corpo, tecnociência, cultura corporal do movimento humano

Resumo

Este artigo analisa a transformação do corpo humano natural em direção ao corpo biônico, pleno de artificialidades. Examina-se, por um lado, a dança de Isadora Duncan como expressão do corpo natural em que se explicita a filosofia de Rousseau. Linguagem gestual de adequação do movimento a um projeto artístico e político. A estética dos pés descalços, roupas soltas, movimentos ondulatórios. A liberação dos códigos convencionais que aprisionam o corpo, numa sociedade datada da segunda metade do século XIX. Por outro lado, o projeto “Primus Posthuman” é trazido como protótipo de corpo do futuro. Corpo completamente manejável pela tecnociência. Desenhado para superar todos os defeitos do corpo biológico.Um corpo biônico.Uma máquina para a qual, em breve, serão transportados os conteúdos da mente. Sociedade do século XXI. A despedida do corpo biológico. Mundo virtual. Mundo das máquinas. A morte do corpo humano?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adroaldo Gaya

Doutor em Ciências do Desporto. Prof. Titular da Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e do Programa de Pós-graduação em Ciências do Movimento Humano.

Downloads

Como Citar

SOCIOLOGIAS, C. E.; GAYA, A. Será o corpo humano obsoleto?. Sociologias, [S. l.], v. 7, n. 13, 2008. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/5514. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Interfaces