Ideologias do profissionalismo em disputa na magistratura paulista

Autores

  • Comissão Editorial Sociologias Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Maria da Gloria Bonelli

Palavras-chave:

magistratura, profissionalismo, ideologias, lutas cognitivas, representações identitárias

Resumo

O artigo contrasta o ideário dominante no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, com o da Associação dos Juízes para a Democracia e com a imagem pública dos magistrados na mídia impressa. Vincula os diferentes conteúdos deste ideário com as teorias do profissionalismo cívico e do profissionalismo democrático A análise parte da concepção de que há uma pluralização das formas identitárias dos grupos profissionais, e que estas identificações resultam da construção negociada entre pares, competidores e público. Neste sentido, os periódicos dos grupos profissionais e a grande imprensa são instrumentais relevantes para se investigar o processo de negociação em torno da identidade profissional dos juízes. A base de dados é composta da análise de conteúdo de textos sobre juízes, ou escritos por eles, publicados no jornal Folha de S. Paulo, entre 1996 e 2002; da seção de noticiário e dos discursos publicados na Revista de Jurisprudência do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, entre 1968 e 1997 e dos artigos do jornal Juízes para a Democracia, entre 1992 e 2002. Cada um desses acervos foi classificado em quatro grandes temas, focalizando o ideário profissional, a relação dos juízes com os outros poderes de Estado, a relação interprofissional e intraprofissional e os interesses expressos por eles. O estudo compara estas três bases, para formar um quadro amplo das identificações coletivas dos juízes e desembargadores de São Paulo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria da Gloria Bonelli

Doutora em Sociologia pela Unicamp. Depto. de C. Sociais da UFSCAR.

Downloads

Como Citar

SOCIOLOGIAS, C. E.; BONELLI, M. da G. Ideologias do profissionalismo em disputa na magistratura paulista. Sociologias, [S. l.], v. 7, n. 13, 2008. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/5506. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê