De Adorno a Marx: política e fetichismo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/15174522-91328

Palavras-chave:

Karl Marx – Theodor Adorno – Política – Fetichismo – Sociedade de massa.

Resumo

O objetivo deste artigo é comparar aspectos das interpretações de Karl Marx em 18 brumário de Luís Bonaparte e no ensaio Teoria freudiana e o padrão da propaganda fascista de Theodor Adorno, a respeito do caráter fetichista que se incorpora a instituições e fenômenos políticos no mundo burguês – tanto em sua aurora, quanto em seu desenlace tardio. Em ambas as interpretações há uma curiosa reincidência de personagens e certos procedimentos que estimulariam o povo a agir como massa. Se é possível sublinhar, nas análises de Marx sobre a ascensão de Luís Bonaparte, consequências para a centralização e racionalização do aparato estatal, ressalta-se, por outro lado, o aspecto mitológico e fantasmagórico que organizaria o interior da esfera política. Ao perscrutar o fenômeno do nazifascismo e do antissemitismo moderno, Adorno desenvolve uma interpretação a respeito das bases objetivas e dos mecanismos subjetivos envolvidos na dinâmica da relação entre o líder fascista e a massa de seus seguidores. Também aqui se verifica a atuação de fenômenos fetichizados.

From Adorno to Marx: politics and fetishism

 Abstract 

This article aims to compare aspects from Karl Marx's The Eighteenth Brumaire of Louis Bonaparte and from Theodor Adorno's essay Freudian theory and the pattern of fascist propaganda, seeking to emphasize elements that would underline a fetishistic character integrated to institutions and political phenomena in the bourgeois world – both at its dawn and in its late outcome. In both interpretations, there is a curious recurrence of characters and schemes that would encourage people to act as a mass. If, on the one hand, it is possible to emphasize in Marx's analysis of the rise of Louis Bonaparte consequences of the centralization and rationalization of the state apparatus, on the other hand, it is possible to emphasize the mythological and phantasmagorical aspect that seem to organize the inside political sphere. By scrutinizing the phenomenon of Nazism and modern anti-Semitism, Theodor Adorno develops an interpretation about the objective bases and the subjective mechanisms involved in the dynamics of the relationship between the fascist leader and the mass comprised by his followers. Here, too, eminently fetishized phenomena are observed.

Keywords: Karl Marx, Theodor Adorno, politics, fetishism, mass society.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio Eduardo Teixeira Vasconcellos, Unicamp

Mestre (2009) e Doutor (2014) em Sociologia pela FFLCH-USP, e atualmente pesquisador de pós-doutorado jundo ao Departamento de Sociologia do IFCH da Unicamp

Referências

ADORNO, Theodor. A teoria freudiana e o padrão de propaganda fascista. In: Ensaios sobre psicologia social e psicanálise. São Paulo: Editora da Unesp, 2015.

ADORNO, Theodor. Democratic leadership and mass manipulation. In: TIEDEMANN, Rolf; ADORNO, Gretel; BUCK-MORSS, Susan; SCHULTZ, Klaus (orgs.). Gesammelte Schriften, Bande 20. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1986.

ADORNO, Theodor. Dialética negativa. São Paulo: Jorge Zahar Editor, 2009.

ADORNO, Theodor. O que significa elaborar o passado. In: ADORNO, Theodor. Educação e emancipação. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

ADORNO, Theodor; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento. Fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1985.

BENHABIB, Seyla. A crítica da razão instrumental. In: ZIZEK, Slavoj (org.). Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

COHN, Gabriel. Esclarecimento e ofuscação: Adorno & Horkheimer hoje. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, n. 43, p. 5-24, 1998. doi: 10.1590/S0102-64451998000100002

FREUD, Sigmmund. Psicologia das massas e análise do eu e outros textos. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

HONNETH, Axel. The critical of power. Massachusetts: The MIT Press, 1993.

KELLNER, Douglas. Guy debord, Donald Trump and the politics os spectacle. In: KELLNER, Douglas. The spectacle 2.0. London: University of Westminster Press, 2017.

KÖNIG, Helmut. Elemente des Antisemitismus. Weilerswist: Velbrück Wissenschaft, 2016.

LÖWY, Michael. Walter Benjamin: aviso de incêndio. São Paulo: Boitempo Editorial, 2005.

MARX, Karl. O 18 Brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo Editorial, 2011.

PISSARDO, Carlos. Os pressupostos materialistas da crítica à razão cognitiva na Dialética do esclarecimento. Dissertação [Mestrado em Filosofia], Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - FFLCH-USP, 2011.

SAFATLE, Vladimir. Cinismo e falência da crítica. São Paulo: Boitempo Editorial, 2011.

WIGGERSHAUS, Rolf. A escola de Frankfurt. História, desenvolvimento teórico, significação política. Rio de Janeiro: Difel, 2002.

ZIZEK, Slavoj. Como Marx inventou o sintoma? In: ZIZEK, Slavoj (org.). Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 1999.

ZIZEK, Slavoj. Eleitores se identificaram com Trump e sentiram na própria pele ataque a ele. Folha de São Paulo, São Paulo, ano 96, n. 31.959, 11 nov. 2016. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2016/11/1831436-eleitores-se-identificaram-com-trump-e-sentiram-na-propria-pele-ataque-a-ele.shtml.

Downloads

Publicado

2019-11-22

Como Citar

TEIXEIRA VASCONCELLOS, C. E. De Adorno a Marx: política e fetichismo. Sociologias, [S. l.], v. 21, n. 52, p. 220–239, 2019. DOI: 10.1590/15174522-91328. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/15174522-91328. Acesso em: 15 ago. 2022.