A sociedade mundial desde a periferia

a sociologia da exclusão de Marcelo Neves

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/18070337-125230

Palavras-chave:

Modernidade Periférica, Exclusão Social, Pensamento Social Brasileiro, Sociedade Mundial, Pensamento Pós-Colonial

Resumo

O artigo apresenta uma interpretação da obra do sociólogo e constitucionalista Marcelo Neves como uma contribuição a uma reflexão sobre o processo de construção do Estado brasileiro desde uma perspectiva pós-colonial, não eurocêntrica. Para isso, apresentamos seu diálogo com a tradição sociológica brasileira representada no “paradigma da formação”. Argumentamos que Neves se afasta do nacionalismo metodológico dessa tradição, com críticas a seus pressupostos e funções ideológicas, mas aproveita algumas das observações sociológicas sobre as periferias descritas por essas teorias – como a infiltração de interesses privados sobre o público e a reprodução de relações sociais profundamente desiguais. Para Neves, a exclusão social surge como peça fundamental a estruturar uma ordem social estável e fundada em formas precárias de cidadania.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pablo Holmes, Universidade de Brasília

Doutor em Sociologia e professor associado do Instituto de Ciência Política e da Pós-Graduação da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília.

Maria Eduarda Dantas, Universidade de Brasília

Mestre e doutoranda em Ciência Política no Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília.

Referências

ARANTES, Paulo Eduardo. Providências de um crítico literário na periferia do capitalismo. In: ARANTES, O. B. F.; ARANTES, P. E. (org.). Sentido da formação: três estudos sobre a Antônio Candido, Gilda de Mello e Souza e Lúcio Costa. São Paulo: Paz e Terra, 1997. p. 11-66.

BECK, Ulrich. Weltrisikogesellschaft, Auf der Suche nach der verlorenen Sicherheit. Frankfurt: Suhrkamp, 2006.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira (momentos decisivos). Belo Horizonte: Itatiaia, 1975.

CARDOSO, Fernando Henrique; FALETTO, Enzo. Dependency and development in Latin America. Berkeley: University of California Press, 1979.

CHATTERJEE, Partha. The politics of the governed: reflections on popular politics in most of the world. Nova York: Columbia University Press, 2004.

COSTA, Sérgio. Desprovincializando a Sociologia: a contribuição pós-colonial. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 21, n. 60, p. 117-134, 2006. https://doi.org/10.1590/S0102-69092006000100007

DAMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

DUTRA, Roberto. Diferenciação funcional e a Sociologia da modernidade brasileira. Política & Sociedade, v. 15, n. 34, p. 77-109, 2016. https://doi.org/10.5007/2175-7984.2016v15n34p77

DUTRA, Roberto. Funktionale Differenzierung , soziale Ungleichheit und Exklusion : eine theoretische Analyse und eine Interpretation des Falls Brasilien. 2013. Berlim: Humboldt Universität zu Berlin, 2013.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. Porto Alegre: Globo, 1958.

FARZIN, Sina. Inklusion/Exklusion: Entwicklungen und Probleme einer systemtheoretischen Unterscheidung. Bielefeld: Transcript, 2006.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São Paulo: Global, 2003.

FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2005.

GONÇALVES, Guilherme L. Rechtssoziologische Interpretationen des Rechtsdiskurs in Lateinamerika: eine postkoloniale Kritik. Juridikum Zeitschrift für Kritik, v. 21, p. 311-320, 2010.

GONÇALVES, Guilherme L. Pós-colonialismo e teoria dos sistemas: notas para uma agenda de pesquisa sobre o direito. In: BACHUR, J. P.; DUTRA, R. (ed.). Dossiê Niklas Luhmann. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013. p. 249-278.

GONZALEZ, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, n. 2, p. 223-243, 1984.

HALL, Stuart. The West and the Rest. Formations of Modernity. Londres: Polity Press, 1993.

HOLANDA, Sérgio B. de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LUHMANN, Niklas. Einführung in die Systemtheorie. Heidelberg: Carl Auer, 2004a.

LUHMANN, Niklas. Sinn, Selbstreferenz und soziokulturelle Evolution. In: BURKART, R.; RUNKEL, G. (org.). Luhmann und die Kulturtheorie. Frankfurt: Suhrkamp, 2004b. p. 241-289.

LUHMANN, Niklas. Die Politik der Gesellschaft. Frankfurt: Suhrkamp, 2000.

LUHMANN, Niklas. Die Gesellschaft der Gesellschaft. Frankfurt: Suhrkamp, 1997a.

LUHMANN, Niklas. Globalization or world society: how to conceive of modern society? International Review of Sociology/Revue Internationale de Sociologie, v. 7, n. 1, p. 67-79, 1997b.

LUHMANN, Niklas. Die Form Person. In: LUHMANN, Niklas (org.). Soziologische Aufklärung 6: Die Soziologie und der Mensch. Wiesbaden: VS Verlag, 1995a. p. 142-154.

LUHMANN, Niklas. Inklusion und Exklusion. In: LUHMANN, Niklas (org.). Soziologische Aufklärung 6: Die Soziologie und der Mensch. Opladen: Westdeutscher Verlag, 1995b. p. 237-264.

LUHMANN, Niklas. Individuum, Individualität, Individualismus. In: LUHMANN, Niklas (org.). Gesellschaftsstruktur und Semantik: Studien zur Wissenssoziologie der modernen Gesellschaft. Frankfurt: Suhrkamp, 1989. p. 149-258.

LUHMANN, Niklas. Soziale Systeme: Grundriß einer allgemeinen Theorie. Frankfurt: Suhrkamp, 1987.

LUHMANN, Niklas. Politische Theorie im Wohlfahrtsstaat. Munique: Günter Olzog Verlag, 1981.

LUHMANN, Niklas. Gesellschaftsstruktur und semantische Tradition. In: LUHMANN, Niklas (org.). Gesellschaftsstruktur und Semantik 1: Studien zur Wissenssoziologie der modernen Gesellschaft. Frankfurt: Suhrkamp, 1980. p. 9-71.

LYNCH, Christian Edward C. Saquaremas & Luzias: a sociologia do desgosto com o Brasil. Insight Inteligência, n. 55, p. 21-37, 2011.

MIGNOLO, Walter. Local histories/Global designs: coloniality, subaltern knowledges, and border thinking. Princeton: Princeton University Press, 2012.

MIGNOLO, Walter D.; TLOSTANOVA, Madina V. Theorizing from the borders: Shifting to geo- and body-politics of knowledge. Journal of Asian and African Studies, v. 41, n. 3, p. 205-221, 2006.

NEVES, Marcelo. Constituição e direito na Modernidade Periférica: uma abordagem teórica e uma interpretação do caso brasileiro. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2018.

NEVES, Marcelo. From transconstitutionalism to transdemocracy. European Law Journal, v. 23, p. 380-394, 2017.

NEVES, Marcelo. Ideias em outro lugar? Constituição liberal e codificação do direito privado na virada do século XIX para o século XX no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 3010, n. 19, p. 4-27, 2013.

NEVES, Marcelo. A constitucionalização simbólica. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

NEVES, Marcelo. Entre Têmis e Leviatã: uma relação difícil (O Estado Democrático de Direito a partir e além de Luhmann e Habermas. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

NEVES, Marcelo. From the autopoiesis to the allopoiesis of law. Journal of Law and Society, v. 28, n. 2, p. 242-264, 2001.

NEVES, Marcelo. A crise do Estado: da modernidade central à modernidade periférica. Revista de Direito Administrativo, v. 3, p. 64-78, 1994a.

NEVES, Marcelo. A crise do Estado: da modernidade central à modernidade periférica. Revista de Direito Administrativo, v. 3, p. 64-78, 1994b.

NEVES, Marcelo. Entre subintegração e sobreintegração: a cidadania inexistente. Dados - Revista de Ciências Sociais, v. 37, n. 2, p. 253-276, 1994c.

NEVES, Marcelo. Verfassung und Positivität des Rechts in der peripheren Moderne: Eine theoretische Betrachtung und eine Interpretation des Falls Brasilien. Berlim: Duncker & Humblot, 1992.

NOBRE, Marcos. Depois da “formação”: cultura e política da nova modernização. Piauí, n. 74, São Paulo, 2012.

PEREIRA, Ana Claudia J. Intelectuais negras brasileiras: horizontes políticos. Belo Horizonte: Letramento, 2019.

PRADO JR., Caio. Formação do Brasil contemporâneo: Colônia. São Paulo: Editora Brasiliense, 1961.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, E. (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005. p. 227-278.

RICUPERO, Bernardo. Da formação à forma. Ainda “as ideias fora do lugar”. Lua Nova, v. 73, p. 59-69, 2008.

SOUZA, Jessé. Niklas Luhmann, Marcelo Neves e o ‘culturalismo cibernético’ da moderna teoria dos sistemas. Em: BACHUR, J. P.; DUTRA, R. (org.). Dossiê Niklas Luhmann. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013. p. 149-182.

STÄHELI, Urs. The outside of the global. The New Centennial Review, v. 3, n. 2, p. 1-22, 2003. https://doi.org/10.1353/ncr.2003.0030

STICHWEH, Rudolf. Inklusion und Exklusion, Studien zur Gesellschaftstheorie. Bielefeld: Transcript Verlag, 2005.

STICHWEH, Rudolf. Systems Theory as an alternative to Action Theory? The rise of communication as a theoretical option. Acta Sociologica, v. 43, n. 5, p. 5-13, 2000.

TAVOLARO, Sergio B. F. A tese da singularidade brasileira revisitada: desafios teóricos contemporâneos. DADOS - Revista de Ciências Sociais, v. 57, n. 3, p. 633-673, 2014.

TAVOLARO, Sergio B. F. Existe uma modernidade brasileira? Reflexões em torno de um dilema sociológico brasileiro. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 20, n. 59, p. 5-22, 2005.

THERBORN, Göran. Inequalities and Latin America: from the enlightenment to the 21st Century. Berlin: Freie Universität, 2011.

WEIß, Anja. Soziologie globaler Ungleichheiten. Berlim: Suhrkamp, 2017.

Downloads

Publicado

2023-06-29

Como Citar

HOLMES, P.; DANTAS, M. E. A sociedade mundial desde a periferia: a sociologia da exclusão de Marcelo Neves. Sociologias, [S. l.], v. 25, n. 62, 2023. DOI: 10.1590/18070337-125230. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/125230. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos