Memória, narrativa e subjetividade étnica: a etnicidade europeia nos Estados Unidos

Autores

  • Lucas Voigt Doutorando junto ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGS/UFRGS) http://orcid.org/0000-0001-9789-7851

DOI:

https://doi.org/10.1590/15174522-113418

Palavras-chave:

Etnicidade, Memória, Narrativa, Migrações, Estados Unidos

Resumo

FODOR, Mónika. Ethnic subjectivity in intergenerational memory narratives: politics of the untold. Nova York: Routledge, 2020. 285 p.

 

Este texto resenha a obra “Ethnic subjectivity in intergenerational memory narratives: politics of the untold”, de Mónika Fodor (2020). Ao longo de seis capítulos, a obra apresenta uma análise de narrativas de memória intergeracional e seu papel para a construção da subjetividade étnica. O trabalho de Fodor adquire originalidade e relevância pela ênfase no aspecto subjetivo e na dimensão de “investimento” da etnicidade, compreendida como capital simbólico. A análise executada pela autora, circunscrita à etnicidade de origem europeia no contexto dos Estados Unidos, apresenta profícuos indicativos metodológicos e potencial heurístico, podendo contribuir para a análise dos fenômenos da etnicidade e da memória em distintos contextos históricos e empíricos marcados pela experiência migratória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Voigt, Doutorando junto ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGS/UFRGS)

É Bacharel em Ciências Sociais e Mestre em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente, realiza o Doutorado junto ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino Superior (CAPES). Foi Visiting Scholar junto ao Lemann Center for Brazilian Studies da University of Illinois at Urbana-Champaign (UIUC). É membro associado da Associação Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras (ANPHCTB). É membro do grupo de pesquisa Identidades Étnicas e Racismo (UFRGS). Tem interesse e experiência nos campos da sociologia da cultura, sociologia das elites, sociologia da memória e sociologia histórica. Desenvolve pesquisas sobre as seguintes temáticas: memória, identidade, migrações, tradição, folclore e museus, com ênfase na questão da "germanidade" no Brasil. É autor do livro "O devir e os sentidos das memórias de descendentes de alemães em Santa Catarina: Um esboço de sociologia da memória" (Porto Alegre: Multifoco / Luminária Academia).

Referências

ALBA, Richard; NEE, Victor. Rethinking assimilation theory for a new era of immigration. International Migration Review, v. 31, n. 4, p. 826-874, 1997. https://doi.org/10.2307/2547416

ANDERSON, Benedict R. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

BONACICH, Edna. A theory of middleman minorities. American Sociological Review, v. 38, n. 5, p. 583-594, 1973.

BUCHENAU, Jürgen. Tools of progress: a German merchant family in Mexico City, 1865-present. Albuquerque: University of New Mexico Press, 2004.

BUCHENAU, Jürgen; DÁVILA, Jerry. Concluding essay: rethinking Latin America in the New Ethnic Studies. In: REIN, R. et al. (org.). Migrants, Refugees, and Asylum Seekers in Latin America. Leiden: Brill, 2020. p. 326-349.

HIRSCH, Marianne. Family pictures: Maus, mourning, and post-memory. Discourse, v. 15, n. 2, p. 3-29, 1992.

HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence O. (org.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

KARAM, John T. Another arabesque: Syrian-Lebanese ethnicity in neoliberal Brazil. Philadelphia: Temple University Press, 2007.

LESSER, Jeffrey. Remaking ethnic studies in the age of identities. In: REIN, Raanan et al. (org.). The new ethnic studies in Latin America. Leiden: Brill, 2017. p. 7-15.

POLLAK, Michael. A gestão do indizível. WebMosaica, v. 2, n. 1, p. 9-49, 2010.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, v. 5, n. 10, p. 200-212, 1992.

REIN, Raanan; RINKE, Stefan; ZYSMAN, Nadia (org.). The new ethnic studies in Latin America. Leiden: Brill, 2017.

ROSEMAN, Mark. Memória sobrevivente: verdade e inexatidão nos depoimentos sobre o holocausto. In: FERREIRA, Marieta M. et al. (org.). História oral: desafios para o século XXI. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2000. p. 123-134.

SCHUCMAN, Lia V. Entre o “encardido”, o “branco” e o “branquíssimo”: raça, hierarquia e poder na construção da branquitude paulistana. 2012. 122 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

VOIGT, Lucas. O devir e os sentidos das memórias de descendentes de alemães em Santa Catarina: um esboço de sociologia da memória. Porto Alegre: Multifoco; Luminária Academia, 2017.

WEBER, Regina. Introdução ao dossiê (Etnicidade). Anos 90, v. 12, n. 21/22, p. 45-52, 2005. https://doi.org/10.22456/1983-201X.6368

Downloads

Publicado

2022-05-31

Como Citar

VOIGT, L. Memória, narrativa e subjetividade étnica: a etnicidade europeia nos Estados Unidos. Sociologias, [S. l.], v. 24, n. 59, p. 430–441, 2022. DOI: 10.1590/15174522-113418. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/113418. Acesso em: 14 ago. 2022.