VIVÊNCIAS MULTIPROFISSIONAIS FRENTE À PANDEMIA DE COVID-19: CONTRIBUIÇÕES DA ERGOLOGIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54909/sp.v5i2.118631

Resumo

A Ergologia é uma proposta multidisciplinar de análise do trabalho como atividade humana. É uma teoria que pode ser usada para a análise de cotidianos laborais com o objetivo de contribuir com a saúde dos trabalhadores. Este Boletim propõe-se a analisar o modo como os trabalhadores vivenciam o enfrentamento ao trabalho real imposto pela pandemia, trazendo uma reflexão a partir dos referenciais da ergologia. A pandemia da COVID-19 oferece uma nova e desafiadora rotina diária para os profissionais da saúde, que atuam diretamente ou indiretamente no atendimento à população. O Brasil, muito antes da chegada do SARS-CoV-2, já enfrentava impasses em seu sistema de saúde sobrecarregado. O Boletim apresenta relatos de experiências de profissionais da área da saúde, três enfermeiras e uma fisioterapeuta da linha de frente, no início dos primeiros movimentos de implementação das políticas de combate à COVID-19. São profissionais que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS) - hospitais, unidade básica de saúde e vigilância em saúde de municípios do interior e da capital do Rio Grande do Sul. Pensar nos cenários enfrentados pelos trabalhadores da saúde compreende resgatar histórias singulares vividas, que efetivaram parceria em tempos de pandemia. Cotidianos de trabalho diferentes, porém, vivenciados em um mesmo cenário de perdas e de problemas em comum, com a incerteza em relação à segurança no trabalho e suas complexas repercussões. A pandemia evidencia a importância das pesquisas e dos pesquisadores e, mais do que nunca, a necessidade de que os trabalhadores sejam ouvidos e participem, colaborando, para juntos, tornar as atividades com menor risco possível e, consequentemente, manter a qualidade no cuidado à saúde e segurança das pessoas.

Palavra-chave: Ergologia. Sistema Único de Saúde. COVID-19.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marisa Flores de Quadros, Universidade Fedral do Rio Grande do Sul e Secretaria Estadual de Saúde

Atualmente faz parte do quadro de Servidores da Secretaria Estadual de Saúde do RS/ 7ª Coordenadoria Regional de Saúde em Bagé-  Fisioterapeuta, exercendo atividades na Vigilância em Saúde - saúde do trabalhador. Mestranda da UFRGS/FAMED em Ensino em Saúde, Especialização em Gestão do Trabalho e Educação em Saúde pela Fiocruz e em Fisioterapia em Traumato-ortopedia pela CBES; Formação em Terapia Manual e Postural Internacional. Graduada em Fisioterapia pela Universidade da Região da Campanha. Fez parte da equipe de fisioterapeutas do Complexo Hospitalar Santa Casa de Porto alegre durante 16 anos (1996-2011) e do Hospital de Clinicas de POA (2011) e Hospital Universitário da URCAMP (2012-2014). Foi servidora pública no Município de Bagé na função de fisioterapeuta (2011-2015).Principais áreas de atuação: Políticas Públicas de Saúde, Educação na Saúde

Anelise Costa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Prefeitura de Igrejinha

Possui graduação em Enfermagem concluído em 2013 pela Universidade Feevale, MBA em Gestão em Serviços de Saúde concluído em 2015 pela mesma universidade, Pós Graduação em Gestão do Trabalho e Educação na Saúde pela UFRN. Mestrado em andamento em ensino na Saúde pela UFRGS. Atua como enfermeira coordenadora de uma ESF no município de Igrejinha desde 2014. Preceptora de Estágio na Atenção Básica da FACCAT, Professora supervisora de estágio do curso técnico de Enfermagem da UNIPACS. Tem experiência em saúde coletiva, controle de infecção hospitalar ,Segurança do paciente e Gestão em serviços de saúde. 

Graziela Lenz Viegas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

Enfermeira no Hospital de Clinicas de Porto Alegre (HCPA), no Serviço de Enfermagem Cirúrgica (SEC/ HCPA). Mestranda Profissional Ensino na Saúde (PPGENSAU-UFRGS). Docência em Enfermagem, MBA em Gestão em Pessoas, Especialista em Centro Cirúrgico e Gerência de Risco. Parecerista AD HOC da Revista de Enfermagem da Universidade Federal do Piauí. (REUFPI). Voluntária em Projeto de Pesquisa do Nursing Care Study (NUCAS) do programa de pós-graduação em enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGENF/ UFRGS).

Lisiane Nunes Zanini, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Grupo Hospitalar Conceição.

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS 2007/02). Mestranda no curso de Mestrado Profissional Ensino na Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Especialista em Gerenciamento dos Serviços de Enfermagem (UFRGS - 2009) e Qualidade e Segurança no Cuidado ao Paciente (Hospital Sírio Libanês - 2017). Atua como Enfermeira no Grupo Hospitalar Conceição e 2ª Tenente na Força Aérea Brasileira.

Cristine Maria Warmling, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Pós-doutorado CAPES/Brasil/McGill University (Montreal-Canadá) (2015). Doutorado em Educação Programa de Pós-Graduação Faculdade de Educação da UFRGS (2009). Mestrado em Saúde Coletiva Programa de Pós-Graduação de Saúde Coletiva Universidade Federal de Santa Catarina (2002). Graduação em Odontologia Universidade Federal de Santa Catarina (1987). Professora Associada do Departamento de Odontologia Preventiva e Social da Faculdade de Odontologia da UFRGS (2011). Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação Modalidade Mestrado Profissional Ensino na Saúde Faculdade de Medicina da UFRGS (2012). Coordenadora do Programa de Pós-graduação Ensino na Saúde FAMED/UFRGS. Atua na área de Saúde Coletiva com experiência em Educação na Saúde. Desenvolve projetos e pesquisas para compreender e intervir nos processos e relações entre a organização do trabalho e a formação e educação na saúde e da produção de tecnologias inovadoras de educação permanente no SUS.

Roger dos Santos Rosa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor em Epidemiologia/PPGEPi-UFRGS (2006), Mestre em Administração - área de Finanças/PPGA-UFRGS (1995), especialista em Medicina Preventiva e Social/Hospital de Clínicas de Porto Alegre (1989) e em Saúde Pública/ENSP-FIOCRUZ (1990), graduado em Medicina/UFRGS (1987) e em Administração Pública/UFRGS (1996). É Professor do Departamento de Medicina Social da UFRGS (1991-) e Analista do Banco Central do Brasil (1994-). Desde 1995, coordena o Curso de Especialização em Saúde Pública/UFRGS. É professor orientador do Mestrado Acadêmico em Saúde Coletiva/UFRGS (2013-), do Doutorado em Epidemiologia (2021-) e dos Mestrados Profissionais em Ensino na Saúde/UFRGS (2013-) e Saúde da Família/UFRGS (2020-). Coordena o Programa de Extensão e Pesquisa em Saúde Urbana, Ambiente e Desigualdades (2013-). Foi Coordenador de Recursos Humanos e Financeiros da Gerência Administrativa do Banco Central do Brasil em Porto Alegre (2019-2021) e Consultor da OPAS/OMS para o projeto UrbanHeart e Governança em Porto Alegre (SDE1300-3)(2013-2014). Participou como membro titular do Conselho Municipal de Saúde de Porto Alegre (1997-2017) e suplente do Conselho Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul (1994-2014). Atua na área de Saúde Coletiva/Saúde Pública com interesse nos temas epidemiologia, administração e planejamento em saúde, vigilância em saúde, economia da saúde e administração pública. 

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

QUADROS, M. F. de; COSTA, A.; VIEGAS, G. L.; ZANINI, L. N.; WARMLING, C. M.; ROSA, R. dos S. VIVÊNCIAS MULTIPROFISSIONAIS FRENTE À PANDEMIA DE COVID-19: CONTRIBUIÇÕES DA ERGOLOGIA. Saberes Plurais: Educação na Saúde, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 147–150, 2021. DOI: 10.54909/sp.v5i2.118631. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/saberesplurais/article/view/118631. Acesso em: 12 ago. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>