Sobre o tempo que passou: a imersão na paisagem cibernética e o surgimento de novas temporalidades e formas de perceber o tempo

Autores

  • Mauro Meirelles UFRGS
  • Cíntia Inês Boll UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-1916.25159

Palavras-chave:

ciberespaço, percepção do tempo, educação a distância, novas tecnologias

Resumo

O presente artigo versa sobre a forma como o tempo é percebido a partir do uso quotidiano das novas tecnologias da informação e comunicação, em especial o computador. Para este fim, nos utilizamos de bases de dados construídas a partir de pesquisa realizada em 2005 e de dados oriundos da experiência de cerca de sete anos com a modalidade de ensino a distância, ora como professor, ora como aluno, ora como tutor. Neste sentido, os resultados apontam que cada vez mais cresce o acesso a diferentes tecnologias que acabam por transformar o quotidiano das pessoas, alterando, assim, significativamente a forma como, estas, se relacionam como o tempo a partir de sua imersão no ciberespaço ou, naquilo, que denominamos de paisagem cibernética.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-12-28

Como Citar

MEIRELLES, M.; BOLL, C. I. Sobre o tempo que passou: a imersão na paisagem cibernética e o surgimento de novas temporalidades e formas de perceber o tempo. RENOTE, Porto Alegre, v. 9, n. 2, 2011. DOI: 10.22456/1679-1916.25159. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/25159. Acesso em: 25 set. 2022.