AS TERRAS DA PACIÊNCIA

MATEMÁTICAS NO FEMININO

Autores

  • Isabel Cafezeiro Universidade federal Fluminense
  • Ricardo Kubrusly Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.22456/2238-8915.130591

Resumo

Considerando o percurso histórico de construção da ciência moderna, bem como as configurações de saberes e poderes que se estabeleceram ao longo deste percurso, analisamos as possibilidades de acolhimento da mulher na matemática. Observamos que a conformidade aos critérios de cientificidade pressupõe o esvaziamento do sujeito e fortalecimento da racionalidade, o que configura hoje o modelo de “contribuições às ciências e às tecnologias”. Tal modelo está assentado sobre parâmetros de essencialidade, neutralidade e universalidade, e se estabelece e se espalha nas divisões disciplinares. Acompanhando a abordagem da ciência no feminino proposta por Isabelle Stengers, argumentamos em favor de repensar a matemática como saberes locais, situados, encarnados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabel Cafezeiro, Universidade federal Fluminense

Departamento de Ciência da Computação

Downloads

Publicado

2023-07-27

Como Citar

CAFEZEIRO, I.; KUBRUSLY, R. AS TERRAS DA PACIÊNCIA: MATEMÁTICAS NO FEMININO. Organon, Porto Alegre, v. 38, n. 75, 2023. DOI: 10.22456/2238-8915.130591. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/organon/article/view/130591. Acesso em: 25 fev. 2024.