Excesso de Peso Materno e Início da Amamentação – Revisão Analítica de Estudos Observacionais

Autores

  • Tanara Vogel Pinheiro Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Faculdade de Medicina, Porto Alegre, Brasil
  • Mariana Lopes de Brito Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Faculdade de Medicina, Porto Alegre, Brasil
  • Karen Ferreira dos Santos Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Faculdade de Medicina, Porto Alegre, Brasil
  • José Geraldo Lopes Ramos Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Faculdade de Medicina, Porto Alegre, Brasil Hospital de Clínicas de Poto Alegre – Departamento de Ginecologia e Obstetrícia
  • Clécio Homrich da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Faculdade de Medicina, Porto Alegre, Brasil Hospital de Clínicas de Porto Alegre – Departamento de Pediatria
  • Marcelo Zubaran Goldani Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Faculdade de Medicina, Porto Alegre, Brasil Hospital de Clínicas de Porto Alegre – Departamento de Pediatria

Palavras-chave:

Aleitamento materno, obesidade, saúde materno-infantil, depressão pós-parto

Resumo

Este artigo tem o objetivo de realizar uma revisão analítica de estudos observacionais que avaliaram a relação entre o excesso de peso materno e o tempo de início do aleitamento materno, com enfoque nos fatores que podem atuar como mediadores da associação. Extensa revisão foi realizada nas bases de dados PubMed/MEDLINE, Google Acadêmico e Bireme/Lilacs utilizando um conjunto de termos relacionados ao início do aleitamento materno e ao excesso de peso materno. As referências dos artigos incluídos foram manualmente revisadas para identificar artigos não revelados anteriormente. Os critérios de seleção foram: idioma português, inglês ou espanhol; estudos originais, e estudo realizado em humanos. Vinte e nove artigos, provenientes de 24 diferentes estudos foram incluídos nas análises. A avaliação desses estudos indica que o excesso de peso materno atua como fator de risco importante para o não início do aleitamento materno e que esse risco se acentua com o aumento no grau de excesso de peso materno. Fatores psicológicos, raça, formas corporais e complicações gestacionais/obstétricas são variáveis maternas que parecem interagir com o excesso de peso, influenciando o início da amamentação.

Palavras-chave: Aleitamento materno; obesidade; saúde materno-infantil; depressão pós-parto

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-02-19

Como Citar

1.
Pinheiro TV, Brito ML de, Santos KF dos, Ramos JGL, Silva CH da, Goldani MZ. Excesso de Peso Materno e Início da Amamentação – Revisão Analítica de Estudos Observacionais. Clin Biomed Res [Internet]. 19º de fevereiro de 2019 [citado 7º de dezembro de 2022];38(4). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/83849

Edição

Seção

Artigos de Revisão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>