Perfil dos pacientes colonizados por enterobactérias produtoras de KPC em hospital terciário de Porto Alegre, Brasil

Autores

  • Flávia Kessler Borges Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, Brazil
  • Tamires Almeida Moraes Serviço de Medicina Interna, Hospital Nossa Senhora da Conceição
  • Christian Valmor Engster Drebes Serviço de Medicina Interna, Hospital Nossa Senhora da Conceição
  • Ana Lúcia Torres da Silva Serviço de Medicina Interna, Hospital Nossa Senhora da Conceição
  • Renato Cassol Controle de Infecção Hospitalar, Hospital Nossa Senhora da Conceição.
  • Diego Rodrigues Falci Controle de Infecção Hospitalar, Hospital Nossa Senhora da Conceição.

Palavras-chave:

KPC, infecções por klebsiella, klebsiella resistente a carbapenêmicos, infecção hospitalar.

Resumo

Introdução: Enterobactérias produtoras de carbapenemase do tipo Klebsiella pneumoniae (KPC) são cada vez mais identificadas em pacientes hospitalizados, porém pouco se conhece sobre o perfil e o prognóstico dos pacientes colonizados por elas. Este estudo objetiva avaliar o perfil epidemiológico e a mortalidade total intra-hospitalar dos pacientes colonizados por KPC em um centro de referência. 

Métodos: Estudo de coorte retrospectivo em adultos colonizados por KPC em internação clínica de novembro/2012 a março/2013 no Hospital Nossa Senhora da Conceição, Porto Alegre (RS). Foram definidos como colonizados pacientes com exame de rastreio (swab) positivo para bactérias produtoras de KPC durante a internação. 

Resultados: Foram incluídos 75 pacientes, sendo 40 homens, com mediana de 52 anos. O tempo desde o início da internação até a positivação do swab apresentou uma mediana e amplitude interquartil de 18 (9-33) dias, com período de internação de 36 (24-56) dias. Foi identificado uso de cateter central em 93%, sondagem vesical de demora 88%, sondagem nasogástrica/nasoentérica 87%, ventilação mecânica 81% e hemodiálise 40%. Dois terços dos pacientes apresentaram pelo menos um evento infeccioso após a colonização. O escore de Charlson (OR 1,53 por cada ponto; IC95% 1,25-1,97) e diálise prévia (OR 4,35; IC95% 1,39-15,37) foram preditores independentes de mortalidade. Óbito ocorreu em 56% dos pacientes (n=42).

Conclusão: Pacientes colonizados por KPC apresentam mortalidade total intra-hospitalar elevada. Comorbidades prévias à colonização foram associadas com mortalidade. O presente estudo não permite definir qual o papel da colonização no desfecho clínico dos pacientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-02-25

Como Citar

1.
Borges FK, Moraes TA, Drebes CVE, da Silva ALT, Cassol R, Falci DR. Perfil dos pacientes colonizados por enterobactérias produtoras de KPC em hospital terciário de Porto Alegre, Brasil. Clin Biomed Res [Internet]. 25º de fevereiro de 2015 [citado 27º de junho de 2022];35(1). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/51134

Edição

Seção

Artigos Originais