Fatores associados ao aleitamento materno exclusivo em prematuros no primeiro mês após a alta hospitalar

Autores

  • Melissa de Azevedo Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (EEUFRGS)
  • Maria Luzia Chollopetz da Cunha Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (EEUFRGS) Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA)

Palavras-chave:

Enfermagem materno-infantil

Resumo

Estudo de coorte com 116 mães e recém-nascidos pré-termo (RNPT), que buscou verificar quais variáveis maternas e neonatais estariam associadas ao início do AME após a alta hospitalar do RNPT. A coleta de dados foi realizada por meio dos prontuários e de três entrevistas com as mães. A média de peso dos bebês ao nascer foi de 2130±567,7 g e a idade gestacional de 34,5±1,4 semanas. O início do AME em prematuros foi associado à orientação recebida pela mãe de amamentar exclusivamente o bebê em casa (HR=5,27; IC 95%: 2,26-12,3) e de não usar chupeta antes de começar o AME (HR=3,12; IC 95%: 1,60-6,07). O estudo aponta para a necessidade de orientação às mães de RNPT na internação e após a alta, para melhorar os índices de AME.

Palavras-chave: Prematuro; aleitamento materno; enfermagem materno-infantil; enfermagem neonatal; alta do paciente; estudos de coortes

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-05-06

Como Citar

1.
de Azevedo M, da Cunha MLC. Fatores associados ao aleitamento materno exclusivo em prematuros no primeiro mês após a alta hospitalar. Clin Biomed Res [Internet]. 6º de maio de 2013 [citado 17º de abril de 2024];33(1). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/37653

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.