Comparação dos Métodos de Reação em Cadeia da Polimerase Qualitativo e Antigenemia pp65 para o Diagnóstico de Infecção por Citomegalovírus em Pacientes Imunossuprimidos

Autores

  • Ricardo Obalski de Mello Centro de Diagóstico Clínico
  • Patrícia Borba Martiny
  • Juliana Belo Saturi
  • Fernanda de Paris Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  • Alice Beatriz Pinheiro Machado Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  • Martha Bergman Senger Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  • Maria Clara Medina Corrêa Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  • Luiz Carlos Werres Júnior Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  • Graziela Turra Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  • Carolina Fischinger Moura de Souza Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Palavras-chave:

Citomegalovírus, PCR, antigenemia, reação em cadeia, polimerase

Resumo

Introdução: A infecção por citomegalovírus (CMV) é freqüente e acomete com significativa morbimortalidade indivíduos i-munossuprimidos, especialmente transplantados e pacientes HIV positivos com doença avançada. Objetivo: Este estudo visou a comparar o desempenho dos métodos reação em cadeia da polimerase qualitativo (PCR) e antigenemia pp65 para o diagnóstico de infecção por CMV em pacientes imunossuprimidos. Métodos: O estudo foi realizado em 216 amostras de sangue total coletadas de 85 pacientes, entre agosto de 2006 e janeiro de 2007, provenientes da internação ou ambulatório do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). Resultados: Entre as 216 amostras analisadas, 35 amostras apresentaram resultados positivos e 181 amostras apresentaram resultados negativos em uma e/ou outra técnica. Destas 35 amostras positivas, 16 foram positivas em ambas as técnicas; 12 apresentaram-se positivas pela PCR e negativas pela antigenemia; e sete amostras apresentaram-se positivas pela antigenemia e negativas pela PCR. Considerando a antigenemia como padrão-ouro, a técnica de PCR mostrou sensibilidade de 69,6%, especificidade de 93,8%, valor preditivo positivo de 57,1% e valor preditivo negativo de 96,3%. O coeficiente de correlação kappa foi de 0,578. Discussão: Este resultado demonstra que a PCR qualitativa apresenta moderada sensibilidade e alta especifi-cidade para o diagnóstico de infecção para CMV. Apesar de suas limitações, pode ser utilizada para exclusão do diagnóstico em pacientes com suspeita de infecção por CMV, por ser um método mais simples, de baixo custo e de fácil execução.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Obalski de Mello, Centro de Diagóstico Clínico

Farmacêutico-Bioquímico. Especialista em Análises Clínicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em parceria com o Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), RS.

Patrícia Borba Martiny

Farmacêutica-Bioquímica, Aluna de Graduação da Pontifícia Universidade Católica, Porto Alegre, RS.

Juliana Belo Saturi

Farmacêutica-Bioquímica, Aluna de Graduação da Pontifícia Universidade Católica, Porto Alegre, RS.

Fernanda de Paris, Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Farmacêutica-Bioquímica contratada, Unidade de Microbiologia e Biologia Molecular, Serviço de Patologia Clínica do HCPA. Mestre em Ciências Biológicas, Área de Bioquímica, UFRGS, Porto Alegre, RS.

Alice Beatriz Pinheiro Machado, Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Farmacêutica-Bioquímica contratada, Unidade de Microbiologia e Biologia Molecular, Serviço de Patologia Clínica do HCPA. Mestre em Ciências Médicas, UFRGS, Porto Alegre, RS.

Martha Bergman Senger, Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Farmacêutica-Bioquímica contratada, Unidade de Bioquímica e Imunoensaios, Serviço de Patologia Clínica do HCPA. Graduada pela UFRGS, Porto Alegre, RS.

Maria Clara Medina Corrêa, Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Farmacêutica-Bioquímica contratada, Unidade de Bioquímica e Imunoensaios, Serviço de Patologia Clínica do HCPA. Graduada pela UFRGS, Porto Alegre, RS.

Luiz Carlos Werres Júnior, Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Farmacêutico-Bioquímico contratada, Unidade de Bioquímica e Imunoensaios, Serviço de Patologia Clínica do HCPA. Graduado pela UFRGS, Porto Alegre, RS.

Graziela Turra, Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Farmacêutica-Bioquímica, Aluna do Curso de Especialista em Análises Clínicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul em parceria com o Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS.

Carolina Fischinger Moura de Souza, Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Médica Geneticista contratada, Serviço de Patologia Clínica do HCPA. Doutorado em Ciências Biológicas, Área de Biologia Molecular, UFRGS, Porto Alegre, RS.

Downloads

Publicado

2008-05-06

Como Citar

1.
Mello RO de, Martiny PB, Saturi JB, Paris F de, Machado ABP, Senger MB, Corrêa MCM, Werres Júnior LC, Turra G, Souza CFM de. Comparação dos Métodos de Reação em Cadeia da Polimerase Qualitativo e Antigenemia pp65 para o Diagnóstico de Infecção por Citomegalovírus em Pacientes Imunossuprimidos. Clin Biomed Res [Internet]. 6º de maio de 2008 [citado 29º de novembro de 2022];28(1). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/2598

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)