Quando as imagens entram na sala de aula, tecem histórias, promovem diálogos e ampliam a compreensão artística

Autores

  • Rita Inês Petrykowski Peixe Instituto Federal de Santa Catarina — IFSC, Itajaí/SC, Brasil
  • Amélia Maña Domes Instituto Educacional Oriol Martorell — IEA Oriol Martorell, Barcelona, Espanha

DOI:

https://doi.org/10.22456/2357-9854.128560

Palavras-chave:

Imagens, Tecendo identidades, Práticas artísticas, Diálogos, Vivências em Arte

Resumo

As experiências com o uso dos recursos visuais nas aulas de artes podem ser fomentadoras de inúmeras descobertas e conhecimentos, possibilitando a promoção de amplos diálogos e reflexões entre professores e alunos, principalmente no que se refere à compreensão da importância das imagens na arte e sua relação com a vida dos estudantes. Objetivando problematizar e refletir acerca das percepções vivenciadas pelos alunos, após relacionarem-se com imagens de obras procedentes de uma mostra artístico artesanal, a presente proposta se estabelece.  Ela tem origem a partir de um conjunto de atividades desenvolvidas com estudantes do Ensino Médio / Secundária de duas escolas de países diferentes, sendo esse um dos desdobramentos de um projeto que tem nas artes e nas artesanias seu foco principal. Intitulado “ARTESANeando Identidades”, apresenta práticas artísticas realizadas em sala, articuladas com base em cinco obras selecionadas da mostra “TEIXINT IDENTITATS”, ocorrida em Barcelona (ES) de outubro de 2019 a janeiro de 2020.  Por meio desse projeto, outras iniciativas foram propostas e resultaram em narrativas dialógicas que buscaram estabelecer conexões reflexivas entre as imagens e os contextos docentes e discentes, gerando inferências nas suas trajetórias de vida, as quais motivaram o conteúdo que apresentamos para esse artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita Inês Petrykowski Peixe, Instituto Federal de Santa Catarina — IFSC, Itajaí/SC, Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul; mestre em Educação; especialista em Arte/Educação. Possui graduação em Educação Artística – habilitação em Artes Plásticas e graduação em Pedagogia: habilitação em Orientação Educacional. Pós-doutorado pela Universidade de Barcelona (2020). Atua como professora de Arte no Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), campus Itajaí. Participa do Grupo de Pesquisas em Arte – GEARTE e coordena o Grupo de Pesquisas DZART: estudos de imagem, design, artesania e práticas educativas. Tem experiência em ensino, pesquisa e extensão, com ênfase em educação, métodos e técnicas de ensino, permanência e êxito, cultura, arte/educação, ensino da arte, estética e design social, tecnologias sociais, economia solidária e artesania.

Amélia Maña Domes, Instituto Educacional Oriol Martorell — IEA Oriol Martorell, Barcelona, Espanha

Graduada em Educação Social e Licenciada em Pedagogia pela Universidad de Barcelona. Mestre em Diagnóstico e intervenção em neuropsicopedagogia pela Universidad de Girona. Mestre em Artes Visuais e Educação: uma abordagem construcionista pela Universidade de Barcelona. Professora do ensino secundário nas especialidades de orientação educativa, metodologias globalizadas (trabalho por projetos, STEAM) e educação visual e plástica. Atualmente trabalha no Institut Escola Artístic Oriol Martorell em Barcelona.

Referências

BARBOSA, Ana Mae. Tópicos utópicos. Belo Horizonte: C/Arte, 1998.

BARBOSA, Ana Mae (org.). Inquietações e mudanças no ensino da Arte. São Paulo: Cortez, 2022.

BLASCO, Selina. No sin orden no ordinário, o cómo tramar conexiones entre textiles. Teixint Identitats. Centre d’Art Tecla Sala, L’Hospitalet, 10.10.2019 – 26.01.2020. Barcelona: Agpograf S.A.

CENTRE D’ART TECLA SALA. Teixint Identitats. Centre d’Art Tecla Sala, L’Hospitalet, 10.10.2019 – 26.01.2020. Barcelona: Agpograf S.A., 2019.

DEWEY, John. Arte como experiência. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

GARCIA, Ascensión; MARCOS, Carmen. Comissaria. Teixint Identitats. Centre d’Art Tecla Sala, L’Hospitalet, 10.10.2019 – 26.01.2020. Barcelona: Agpograf S.A. 2019.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HERNÁNDEZ, Fernando Hernández y. Catadores da cultura visual: transformando fragmentos em nova narrativa educacional. Porto Alegre: Mediação, 2007.

MACHADO, Regina Stella Barcelos. Rasas razões. In: BARBOSA, Ana Mae (org.). Inquietações e mudanças no ensino da arte. São Paulo: Cortez, 2002. p. 175-181.

MANGUEL, Alberto. Lendo imagens: uma história de amor e ódio. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

MEKSENAS, Paulo. Pesquisa social e ação pedagógica: conceitos, métodos e práticas. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

NOGUEIRA, Maria Luísa Magalhães.; BARROS, Vanessa Andrade de; ARAUJO, Adriana Dias Gomide; PIMENTA, Denise Aparecida Oliveira. O método de história de vida: a exigência de um encontro em tempos de aceleração. Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais, 12 (2), p. 466-485. São João del Rei, maio-agosto de 2017. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/pdf/ppp/v12n2/16.pdf. Acesso em: 20 mar. 2022.

PETRYKOWSKI PEIXE, Rita Inês; DOMES, Amélia Maña; HERNÁNDEZ, Fernando Hernández y. Aportes e contribuições de práticas artísticas em artesania a um projeto de investigação. Anais do 29º Encontro Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas. Goiânia: ANPAP, 2020. p. 2866-2879. Disponível em: http://anpap.org.br/anais/2020/content/comite_eav.html Acesso em 20.03.2022. Acesso em: 12 out. 2021.

PILLAR, Analice Dutra. A educação do olhar no ensino da arte. In.: BARBOSA, Ana Mae (org.). Inquietações e mudanças no ensino da Arte. São Paulo: Cortez, 2022. p. 71-82.

ROSSI, Maria Helena Wagner. Imagens que falam: leitura da arte na escola. Porto Alegre: Mediação, 2003.

SAMAIN, Etienne. Como pensam as imagens. Campinas-SP: Editora da Unicamp, 2012.

WEBER, Vanessa. O método biográfico na investigação das identidades profissionais docentes. Revista Pesquisa Qualitativa. São Paulo (SP), v.7, n.13, p. 43-56, abr./19, 2019.

Downloads

Publicado

2022-11-18

Como Citar

PEIXE, R. I. P. .; DOMES, A. M. Quando as imagens entram na sala de aula, tecem histórias, promovem diálogos e ampliam a compreensão artística. Revista GEARTE, [S. l.], v. 9, 2022. DOI: 10.22456/2357-9854.128560. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/gearte/article/view/128560. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Dossiê GEARTE: 25 anos