O Paradoxo Francês: cultura histórica significativa e didática da história incerta

Autores

  • Nicole Tutiaux-Guillon UFM de Lille

Palavras-chave:

Cultura Histórica. Didática da História. Aprendizagem da História. Cultura Profissional.

Resumo

A cultura popular francesa contribui enormemente para a história. Em contrapartida, a didática da história – em seu sentido francês – é um tanto marginal, mesmo que tenha se desenvolvido fortemente desde a década de oitenta, em um contexto caracterizado por mudanças na sociedade e na escola, assim como na historiografia. A didática da história tem estudado os conteúdos, os objetivos e as práticas do ensino e do aprendizado da história, se apoiando em referências da epistemologia, ciências educacionais, psicologia, história da educação, etc., mas construindo suas próprias abordagens teóricas. Entretanto, a didática da história é pouco institucionalizada, não tem lugar na formação de professores e seus resultados são completamente reconstruídos quando transportados para a cultura profissional. Mesmo que sua influência no ensino seja parca – o ensino nas escolas secundárias teve poucas mudanças nas últimas décadas a didática da história francesa mostra dinamismo e profundidade teórica.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nicole Tutiaux-Guillon, UFM de Lille

Nicole Tutiaux-Guillon é professora do IUFM do Nord Pas de Calais (Universidade d´Artois) desde 2005, onde leciona a disciplina Didática da História e da Geografia. Diretora adjunta do laboratório de  pesquisa Théodile-CIREL da Universidade de Lille 3. Suas pesquisas privilegiam um enfoque interdidático
versando sobre a educação para um desenvolvimento sustentável.
E-mail: tutiaux-guillon@wanadoo.fr
Tradução:Cláudia Maria Bokel Reis

Arquivos adicionais

Publicado

2011-04-20

Como Citar

Tutiaux-Guillon, N. (2011). O Paradoxo Francês: cultura histórica significativa e didática da história incerta. Educação &Amp; Realidade, 36(1). Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/15162

Edição

Seção

Ensino de História