“Esculpindo o tempo”: Caché de Michael Haneke

Autores

  • Michael J. Shapiro

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-5269.119592

Palavras-chave:

Colonialismo, Memória, História, Filme, Campos escópicos.

Resumo

Neste ensaio, indago a forma como as artes visuais intervêm para revelar e desestabilizar as perspectivas sobre as desigualdades dentro dos espaços metropolitanos em que habitam as populações de imigrantes de ex-colônias e fornecer o contexto histórico das estruturas hegemônicas que tais intervenções procuram desafiar. O inquérito prossegue através da leitura do filme Caché, de Michael Haneke, que segue uma família cujas memórias pessoais de um erro cometido contra um filho adotivo argelino é uma alegoria da amnésia intencional da França em relação ao ataque das forças de segurança em outubro de 1961 contra manifestantes argelinos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-12-22

Como Citar

Shapiro, M. J. (2021). “Esculpindo o tempo”: Caché de Michael Haneke. Revista Debates, 15(3), 4–35. https://doi.org/10.22456/1982-5269.119592