EMOÇÕES E PERFORMANCES: UMA ABORDAGEM CULTURAL SOBRE PROCESSOS DE CONTESTAÇÃO CONTEMPORÂNEOS

Autores

  • Camila Farias da Silva

Resumo

Recentemente presenciamos processos de contestação em várias partes do mundo que apresentaram desafios ao campo de pesquisa de movimentos sociais. No Brasil, as manifestações contra a corrupção e pró-impeachment são um exemplo desse fenômeno, as quais reforçam a carência de instrumentos teórico-metodológicos para a compreensão desse ativismo contemporâneo. Esse artigo apresenta uma proposta de aproximação à abordagem cultural de estudos sobre os processos de contestação, especificamente a partir das emoções, a fim de avançar na superação dessa limitação presente no campo. Nesse artigo é apresentado uma possibilidade de como trabalhar as emoções na sua relação com performances públicas de contestação. Essa proposta contribui na problematização de uma visão marcadamente utilitarista, pragmática e/ou estratégica das performances de protesto, que as vê como um meio ou instrumento para atingir um determinado fim prático da organização/movimento. Para sua realização propõe-se a abordagem metodológica baseada em mecanismos causais. Primeiramente são estabelecidas correlações entre tipos de performances e categorias emocionais (que serão identificadas nos eventos de protesto), por fim, através de entrevistas semiestruturadas, são identificados os mecanismos que explicam tais correlações. Essa pesquisa, então, desloca a atenção para a dimensão emotiva das performances e, identifica-se que ao mesmo tempo, expressam e produzem emoções dos/nos participantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

07-06-2017

Como Citar

DA SILVA, C. F. EMOÇÕES E PERFORMANCES: UMA ABORDAGEM CULTURAL SOBRE PROCESSOS DE CONTESTAÇÃO CONTEMPORÂNEOS. Revista Contraponto, [S. l.], v. 4, n. 1, 2017. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/contraponto/article/view/74018. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos