Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao Editor".
  • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.

  • URLs para as referências foram informadas quando possível.

  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.

Diretrizes para Autores

Inserção do artigo no sistema:

Inserir, no sistema SEER - CADERNOS DE TRADUÇÃO, o resumo no idioma do artigo.

Inserir o artigo no formato “.doc” ou ".docx".

Se houver imagens, enviá-las também em “.jpg”, como documentos complementares.

 Formatação geral do texto:

Traduções não têm mínimo nem máximo de páginas; traduções comentadas devem ter, no mínimo, 6 páginas; artigos devem ter entre 10 e 25 páginas (incluindo as referências); resenhas, no mínimo 3 páginas; entrevistas, no mínimo 4 páginas.

São aceitas traduções (comentadas ou não) do alemão, espanhol, francês, inglês, italiano, japonês e russo (línguas estrangeiras oferecidas pelo Instituto de Letras) para o português, bem como do português para essas línguas. Artigos, resenhas e entrevistas são aceitos em qualquer das línguas mencionadas.

A folha é A4, com as quatro margens em 2,5 cm.

A fonte padrão é Times New Roman, corpo 12. Resumo, palavras-chave e citações longas, corpo 11; notas de rodapé, corpo 10.

O espaçamento entrelinhas é de 1,5 cm. Espaçamento entrelinhas simples para resumos, citações longas e notas de rodapé.

Os parágrafos não devem ter espaçamento anterior nem posterior.

O itálico deve ser usado para citar títulos, destacar elementos textuais ou expressões em língua estrangeira.

Os textos devem obedecer à seguinte ordem:

a) Título em negrito, centralizado, sem caixa alta; tradução do título para o inglês ou para as línguas mencionadas anteriormente, conforme orientação do(s) organizador(es) do número da revista, uma linha abaixo do mesmo (no caso de textos em língua estrangeira, o título deve vir acompanhado da tradução para o português);

b) Nome do(s) autor(es) por extenso, duas linhas abaixo do título, alinhado à direita; no caso de traduções, acrescentar, abaixo do nome do autor, o(s) tradutor(es), o(s) revisor(es) (revisão geral e/ou técnica);

c) Filiação científica, em nota de rodapé, puxada por um asterisco, constando a titulação máxima, o nome do instituto ou faculdade a que pertence, o nome da universidade (sigla) e um email para contato; os mesmos dados são apresentados também para tradutor(es) e revisor(es);

d) Resumo, no idioma do texto (máximo 200 palavras), duas linhas abaixo do nome do autor, sem adentramento e em espaçamento simples;

e) Palavras-chave (até cinco), uma linha abaixo do resumo, separadas por ponto e vírgula;

f) Duas linhas abaixo das palavras-chave, deverão constar a tradução do resumo e das palavras-chave para o inglês ou para uma das línguas já mencionadas, conforme orientação do(s) organizador(es), seguindo os mesmos padrões de resumo e palavra-chave; no caso de textos redigidos em língua estrangeira, resumo e palavras-chave em português.

f) Texto: duas linhas abaixo das palavras-chave, inicia-se o texto, em espaçamento entrelinhas de 1,5 e sem espaçamento entre parágrafos; os subtítulos correspondentes a cada parte do texto deverão figurar à esquerda, em negrito e sem adentramento. Os subtítulos deverão ser numerados, desde o primeiro.

Citações longas: recuo 3,5 cm; espaçamento simples.

As citações no corpo do texto deverão ser redigidas de acordo com o padrão estilístico correspondente a cada norma ABNT. Exemplos:

[Indicação de fonte no corpo do texto, texto parafraseado]

Tomemos o exemplo da filiação científica (GROSSMANN et al., 2009), que pode ser considerada como uma função retórica clássica ligada ao texto científico, por meio da qual o autor indica sua pertença a uma linha, sua intenção de continuar um modelo teórico ou que faz uso de um modelo para o propósito de um estudo.

[Citação no corpo do texto, até 3 linhas]

[...] Quebrou-se então o paradigma de texto original, fidelidade, equivalência e neutralidade, pois agora “o tradutor é entendido como um sujeito inserido num certo contexto cultural, ideológico, político e psicológico – que não pode ser ignorado ou eliminado ao elaborar uma tradução.” (BOHUNOVSKY, 2001, p. 54).

[Citação com mais de 3 linhas]

[...]. Isso ocorre principalmente em três casos:

(a) quando um polissistema ainda não se cristalizou, ou seja, quando uma literatura ainda é ‘jovem’, em processo de se estabelecer; (b) quando uma literatura é “periférica” (dentro de um grupo maior de literaturas correlatas), “fraca” ou as duas coisas; e (c) quando ocorrem pontos de virada, crises ou vácuos literários em uma dada literatura (EVEN-ZOHAR, 2012, p. 5).

            Para o primeiro caso, poderíamos citar a literatura de Israel, uma nação constituída há pouco tempo, onde nasceu e vive o teórico. [...]

Duas linhas abaixo do texto, sem adentramento, deverão figurar as referências (sem numeração), em ordem alfabética e cronológica, indicando os trabalhos citados no texto.

g) Referências: devem ser dispostas em ordem alfabética pelo último sobrenome do autor, atendendo-se aos padrões da NBR 6023:2018 da ABNT. Solicita-se o uso de negrito para o título das publicações. Exemplos:

  • Livros:

BIBER, D. University Language: a corpus-based study of spoken and written registers. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 2006.

  • Capítulos de livros:

GOETHE, J. W. Três trechos sobre tradução. Tradução Rosvitha Friesen Blume. In: HEIDERMANN, W. (Org.). Clássicos da teoria da tradução: alemão-português. Florianópolis: UFSC, 2001. p.29-37.

  • Artigos em periódicos:

 SNELL-HORNBY, M. A “estrangeirização” de Venuti: o legado de Friedrich Schleiermacher aos estudos da tradução? Tradução de Tinka Reichmann e Marcelo Moreira. Pandaemonium Germanicum. São Paulo, v. 15, p. 185-212, jul. 2012. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/pg/issue/view/3289. Acesso em: 26 set. 2018.

ZAVAGLIA, A. et. al. A tradução comentada em contexto acadêmico: reflexões iniciais e exemplos de um gênero textual em construção. Aletria, Belo Horizonte, v. 25, n. 2, p. 331-352, 2015.

h) Como citar este texto: incluir a referência do próprio artigo, resenha, entrevista ou tradução, conforme as normas ABNT. Exemplo:

Como citar este texto (ABNT):

TARP, S.; FUERTES-OLIVEIRA, P.A. Tradução de Luísa Rabaldo. Métodos e técnicas para usar a Internet diretamente como corpus: o caso dos Dicionários on-line de Espanhol Valladolid-UVa. Cadernos de Tradução, Porto Alegre, n. 43, p. 10-32, jul./dez. 2018.

Artigo

##section.default.policy##

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.