Escola Politécnica de São Paulo: produção da memória e da identidade social dos engenheiros paulistas - São Paulo polytechnic school: the production of memory and social identity of são paulo engineers

Bruno Bontempi Junior, Brasil

Resumo


Neste artigo interpretam-se discursos de engenheiros e formandos, proferidos em sessões solenes da Escola Politécnica de São Paulo entre 1899 e 1910. As fontes são analisadas à luz do desenvolvimento histórico da instituição, das referências organizacionais e simbólicas que toma das congêneres europeias e das relações dos engenheiros com a sociedade. A análise do imaginário social desse agrupamento evidencia que as instituições de ensino superior são espaços de formação e sociabilidade que instituem memórias, identidades e representações sociais que, internamente cultivadas e repetidas em suas cerimônias de colação de grau, mantêm elucidativas correspondências com a condição social objetiva e as aspirações políticas da categoria profissional que se incumbem de formar.

Palavras-chave: Escola Politécnica de São Paulo, memória, história do ensino superior. 


SÃO PAULO POLYTECHNIC SCHOOL: THE PRODUCTION OF MEMORY AND SOCIAL IDENTITY OF SÃO PAULO ENGINEERS

Abstract

In this article, speeches by engineers and graduates, delivered in formal ceremonies at the Polytechnic School of São Paulo between 1899 and 1910, are interpreted. The sources are analyzed in light of the historical development of the institution, the organizational and symbolic references that arise from similar European references, and the relations of engineers to society. The analysis of the social imaginary of this group shows that higher education institutions are places for training and sociability which establish memories, identities and social representations that, when internally fostered and later repeated at their graduation ceremonies, enlighten the objective social condition and the political aspirations of the profession that they intend to form.

Key-words: Polytechnic School of São Paulo, memory, history of higher education.


ESCUELA POLITÉCNICA DE SAO PAULO: PRODUCCIÓN DE MEMORIA E IDENTIDAD SOCIAL DE LOS INGENIEROS PAULISTA

Resumen

En este artículo se interpretan discursos de los ingenieros y estudiantes que han sido pronunciados durante las sesiones formales de la Escuela Politécnica de São Paulo entre 1899 y 1910. Las fuentes se analizan a la luz de la evolución histórica de institución, organización y referencias simbólicas que toma de sus homólogos europeos y la relación entre los profesionales de la ingeniería y la sociedad. El análisis del imaginario social de este grupo demuestra que las instituciones de educación superior se caracterizan como espacios de formación y sociabilidad que establecen identidades y representaciones sociales; este último, que cultivados durante las ceremonias de graduación, mantienen importante correspondencia con la condición social y las aspiraciones políticas de la categoría profesional que buscan establecer.

Palabras-clave: Escuela Politécnica de São Paulo, memoria, historia de la educación superior.


ECOLE POLYTECHNIQUE DE SAO PAULO : PRODUCTION DE LA MEMOIRE ET DE  L’IDENTITE SOCIALE DES INGENIEURS PAULISTES

Résumé

Dans cet article, sont interprétés les discours des ingénieurs et des élèves diplômés qui ont été proférés lors des séances formelles de l’Ecole Polytechnique de São Paulo entre 1899 et 1910. Les sources sont analysées à la lumière du développement historique de l’institution, des références organisationnelles et symboliques que cette dernière prend de ses congénères européennes et des rapports entre les professionnels d’ingénierie et la société. L’analyse de l’imaginaire social de ce rassemblement révèle que les institutions d’enseignement supérieur se caractérisent pour être des espaces de formation et de sociabilité instituant les mémoires, les identités et les représentations sociales; ces dernières, qui étant internement cultivées et reprises lors des cérémonies de remises de diplômes, maintiennent des correspondances assez significatives après la condition sociale objective et après les aspirations politiques de la catégorie professionnelle qu’elles cherchent à constituer.

Mots-clé: École Polytechnique de São Paulo, mémoire, histoire de l’enseignement supérieur.


Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Sérgio. Aprendizes do poder: o bacharelismo liberal na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1988.

ALMANACH LITTERÁRIO DE SÃO PAULO para o anno de 1883. São Paulo: Typographia da Provincia, 1884.

ALVES, Isidoro D. Modelo politécnico, produção de saberes e formação do campo científico no Brasil. In: HAMBURGUER, A. et al. (org.). A ciência nas relações Brasil-França (1850-1950). São Paulo: Edusp, 1996, p. 65-75.

AZEVEDO, Fernando de. A missão da universidade. In: AZEVEDO, Fernando de. A educação e seus problemas. Tomo I. São Paulo: Melhoramentos, s/d., p. 53-71.

AZEVEDO, Fernando de. A educação na encruzilhada. São Paulo: Melhoramentos, 1960.

BACZKO, Bronislaw. Imaginação social. In: Enciclopedia Einaudi, v. 5, Lisboa: Imprensa Nacional, 1985, p. 296-332.

BARROS, Roque Spencer M. A ilustração brasileira e a ideia de universidade. São Paulo: Universidade de São Paulo/Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, 1959.

BRASIL. Projeto de regulamento ou estatutos para o Curso Jurídico creado pelo Decreto de 9 de janeiro de 1825, organizado pelo Conselheiro de Estado Visconde da Cachoeira, e mandado observar provisoriamente nos cursos jurídicos de S. Paulo e Olinda pelo art. 10 desta lei. [1827] In: MOTA, Carlos G (coord.). Os juristas na formação do estado-nação brasileiro. Vol. I. Século XVI a 1850. São Paulo: Quartier Latin, 2006.

BOBBIO, Norberto. Os intelectuais e o poder: dúvidas e opções dos homens de cultura na sociedade contemporânea. São Paulo: Unesp, 1997.

BOSI, Alfredo. O positivismo no Brasil: uma ideologia de longa duração. In: PERRONE-MOISÉS, Leyla. Do positivismo à desconstrução: idéias francesas na América. São Paulo: Edusp, 2004, p. 17-47.

CALLOT, Jean-Pierre; CAMUS, Michel; ESAMBERT, Bernard; BOUTTES, Jacques. Histoire et prospective de l’École Polytechnique. Paris-Limoges: Lavauzelle, 1993.

CASTRO, Celso. Os militares e a República: um estudo sobre cultura e ação política. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

CARVALHO, José Murilo de. A Escola de Minas de Ouro Preto: o peso da glória. São Paulo: Editora Nacional/Rio de Janeiro: Finep, 1978.

CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial. Brasília: UNB, 1981.

CERASOLI, Josianne F. A grande cruzada: os engenheiros e as engenharias de poder na Primeira República. Campinas: Unicamp, 1998. 265f. Dissertação (mestrado em História). Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Estadual de Campinas.

CHAGAS, Valnir. Educação brasileira: o ensino de 1º e 2º graus. Antes, agora e depois? São Paulo: Saraiva, 1980.

CHARLE, Christophe. La mémoire des lieux. Sociétés Contemporaines, n. 28, 1997, p. 103-110.

CHARLE, Christophe. Micro-histoire social et macro-histoire sociale: quelques réflexions sur les effets des changements de méthode depuis quinze ans en histoire sociale. In: Histoire sociale, histoire globale? Actes du colloque des 27-28 janvier 1989. Paris. Fondation de la Maison des Sciences de l’Homme, 1993, p. 45-53.

CHARLE, Christophe; VERGER, Jacques. Histoire des universités XIIe-XXIe siècle. Paris: PUF, 2012.

CHARTIER, Roger. A história cultural entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 2002.

COELHO, Edmundo C. As profissões imperiais: medicina, engenharia e advocacia no Rio de Janeiro (1822-1930). Rio de Janeiro/São Paulo: Record, 1999.

COSTA, João C. Contribuição à história da ideias no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.

CUNHA, Luiz A. Ensino superior e universidade no Brasil. In: LOPES, Eliana M. T. et al. (org.). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, p. 151-204.

DEAN, Warren. A industrialização de São Paulo (1880-1945). São Paulo: Difel, 1971.

ÉCOLE POLYTECHNIQUE. Annuaire de l’École Polytechnique pour l’an 1895. Avec des notices scientifiques, historiques et statistiques et le mémorial de l’École. Paris: Charles-Lavauzelle, 1895.

ÉCOLE POLYTECHNIQUE. Notice d’information. Le Bicentennaire 1794-1994. Paris: École Polytechnique, 1993.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulopara o anno de 1900. São Paulo: Typographia do Diário Oficial, 1900.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulopara o anno de 1901. São Paulo: Typographia Brazil, 1901.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulopara o anno de 1902. São Paulo: Typographia Brazil, 1902.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulopara o anno de 1903. São Paulo: Typographia do Diário Oficial, 1903.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulo para o anno de 1905. São Paulo: Typographia do Diário Oficial, 1905.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulo para o anno de 1906. São Paulo: Typographia do Diário Oficial, 1906.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulo para o anno de 1907. São Paulo: Typographia Brazil, 1907.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulo para o anno de 1908. São Paulo: Typographia Brazil, 1908.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulo para o anno de 1909. São Paulo: Typographia Brazil, 1909.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulo para o anno de 1910. São Paulo: Typographia Brazil, 1910.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulo para o anno de 1911. São Paulo: Typographia do Diário Oficial, 1912.

ESCOLA POLYTECHNICA DE SÃO PAULO. Annuario da Escola Polytechnica de São Paulo para o anno de 1912. São Paulo: Typographia do Diário Oficial, 1913.

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Minerva. Disponível em http://www.poli.usp. br/pt/a-poli/historia/minerva.html». Acesso em 03/12/2014.

FICHER, Sylvia. Os arquitetos da Poli: ensino e profissão em São Paulo. São Paulo: Fapesp: Edusp, 2005.

HEINZ, Flávio M. Positivistas e republicanos: os professores da Escola de Engenharia de Porto Alegre entre a atividade política e a administração pública (1896-1930). Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 29, n. 58, 2009, p. 263-289.

INSTITUTO DE ENGENHARIA. História. Disponível em «http://www.institutodeengenharia.org.br/site/instituto/index/id_sessao/18/id_texto/14». Acesso em 3 dez. 2014.

KAWAMURA, Lili Katsuko. Engenheiro: trabalho e ideologia. São Paulo: Ática, 1979.

KULESZA, Wojciech A. O processo de equiparação ao Ginásio Nacional na Primeira República: o caso do Colégio Diocesano da Paraíba. Revista Brasileira de História da Educação, v. 11, n. 2, 2011, p. 81-102.

KROPF, Simone P. O saber para prever, a fim de prover: a engenharia de um Brasil moderno. In: HERSCHMANN, Micael M; PEREIRA, Carlos A. M. A invenção do Brasil moderno: medicina, educação e engenharia nos anos 20-30. Rio de Janeiro: Rocco, 1994, p. 202-223.

MALUF, Paulo S. Engenheiro sempre. In: ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS DA ESCOLA POLITÉCNICA. Os engenheiros politécnicos e sua escola. São Paulo: Fundação Vanzolini, 1995.

MICELI, Sérgio. Intelectuais e classe dirigente no Brasil (1920-45). São Paulo: Difel, 1979.

MONARCHA, Carlos. Escola Normal da Praça: o lado noturno das luzes. Campinas: Unicamp, 1999.

MOTOYAMA, Shozo; NAGAMINE, Marilda. Escola Politécnica, 110 anos construindo o futuro. São Paulo: Edusp, 2004.

NADAI, Elza. Ideologia do progresso e ensino superior (São Paulo 1891-1934). São Paulo: USP, 1981. 275p. Tese (doutorado em História). Universidade de São Paulo.

NADAI, Elza. Ideologia do progresso e ensino superior (São Paulo 1891-1934). São Paulo: Loyola, 1987.

NORA, Pierre (dir.). Les lieux de mémoire. t.1 la République. Paris: Gallimard, 1984.

NORA, Pierre (dir.). Les lieux de mémoire. t.2 la Nation. Paris: Gallimard, 1986.

NORA, Pierre (dir.). Les lieux de mémoire. t.3. les France. Paris: Gallimard, 1988.

MAYER, Arno J. A força da tradição: a persistência do Antigo Regime. São Paulo: Cia. das Letras, 1987.

PERISSINOTTO, Renato M. Estado e capital cafeeiro em São Paulo (1889-1930). São Paulo: Anablume/Fapesp, 1999.

PIQUEIRA, José R. Castilho (coord.). Fazendo história. São Paulo: Riemma, 2013.

PRADO, Maria Ligia C. A democracia ilustrada: o Partido Democrático Brasileiro de São Paulo (1926-1934). São Paulo: Ática, 1986.

RINGER, Fritz K. O declínio dos mandarins alemães: a comunidade acadêmica alemã, 1890-1933. São Paulo: Edusp, 2000.

SAMARA, Eni de M. Diretores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo: vidas dedicadas a uma instituição. São Paulo: Edusp, 2003.

SANTOS, Maria C. L. Escola Politécnica (1894-1984). São Paulo: Fundação para o Desenvolvimento da Engenharia, 1985.

SÃO PAULO (ESTADO). Lei n. 26, de 11 de maio de 1892. In: Diario Official, 17 de maio de 1892, p.2.887.

SÃO PAULO (ESTADO). Lei n. 64, de 17 de agosto de 1892. In: Diario Official, 19 de agosto de 1892, p.3.869-3870.

SÃO PAULO (ESTADO). Lei n. 191, de 24 de agosto de 1893. In: Diario Official, 7 de setembro de 1893, p.7.897-7.910.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. São Paulo: Cia. das Letras, 1993.

SOUZA, Antônio F. de Paula. Esboço rapido de algumas de nossas industrias comparadas às dos Estados-Unidos. In: ALMANACH LITTERARIO DE SÃO PAULO para o anno de 1876. São Paulo: Imprensa Oficial, 1982. (fac-similar).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';



====================================================================

REVISTA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO / HISTORY EDUCATION JOURNAL

QUALIS/CAPES 2016: Educação - A1 / Ensino - A1 / História - A2 / Interdisciplinar - A2 / Direito - A2 / Linguística e Literatura - B1 / Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo - B1

ISSN online: 2236-3459

E-mail: rhe.asphe@gmail.com

Facebook RHE

Twitter RHE 

Google + (Plus) 

Academia RHE

Linkedin RHE


INDEXADORES / INDEXERS

Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras

Dialnet - Fundación Dialnet

Doaj - Directory of Open Access Journals

Educ@ Scielo FCC - Indexador online de periódicos na área da Educação

EZB - Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Electronic Journals Library)

Google Acadêmico - Google Scholar

Latindex - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal

LatinRev - Red Latinoamericana de Revistas Académicas en Ciencias Sociales y Humanidades

OEI - Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciência y la Cultura - Biblioteca Digital

Periódicos Capes - Portal de Periódicos Capes / MEC

PKP - Public Knowledge Project

Qualis Periódicos - Plataforma Sucupira

Redalyc - Sistema de Información Científica Redalyc / Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal

Redib - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico

Scielo - Scientific Electronic Library Online

Scopus - Abstract and citation database of peer-reviewed literature: scientific journals, books and conference proceedings

SJR - Scimago Journal & Country Ranking

Sumários.org - Sumários de Revistas Brasileiras

 

PATROCINADORES / SPONSORS

Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação - Asphe

Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Universidade Federal de Pelotas - UFPel

Universidade de Caxias do Sul - UCS

Universidad Complutense de Madrid / España - UCM

 

AGÊNCIAS DE FOMENTO

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes