Crentes e pregadores: imagem, política e alteridade

Autores

  • Pedro Eboli Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

DOI:

https://doi.org/10.22456/2179-8001.137039

Palavras-chave:

Bárbara Wagner, Religião evangélica, Identidades, Alteridades, Política das imagens

Resumo

O presente artigo analisa os horizontes políticos da série de fotografias Crentes e Pregadores, produzida pela artista pernambucana Bárbara Wagner em 2014. A série retrata pastores e frequentadores de igrejas evangélicas, majoritariamente pentecostais, localizadas entre Pernambuco e Alagoas. Partindo dos subsídios teóricos de Jacques Rancière, Judith Butler e Roland Barthes, explicitamos de que modo a política da série não reside na representação do crescimento da fé evangélica, de sujeitos invisibilizados ou de um aporte estético geralmente caracterizado como kitsch. Argumentamos que a série estabelece relações entre alteridades, identidades e visibilidades que estão coadunadas por processos de desidentificação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Eboli, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Pedro Caetano Eboli Nogueira atua como professor, crítico e curador de arte. É graduado em Desenho Industrial (UFRJ, 2009-2014), também obtendo formação teórico-prática na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (2009-2011). Em seu doutorado (PUC-Rio, 2017-2021), investigou as relações entre arte, política e movimentos sociais no Brasil contemporâneo. Atualmente é redator da Enciclopédia Itaú Cultural e professor do Departamento de Teoria e História da Arte da UERJ. É membro do Conselho Editorial da Revista Concinnitas e parecerista da Revista Arte & Ensaios, com diversos textos publicados em revistas de arte, design e arquitetura.

Referências

ALMEIDA, Alexandra Ozorio de. Evangélicos e política. Pesquisa Fapesp, São Paulo, v. 289, n. 1, p. 9, dez. 2019. Disponível em: <https://tinyurl.com/28rpj7v9>. Acesso em: 09 set. 2022.

BARTHES, Roland. Aula. São Paulo: Cultrix, 2013.

BARTHES, Roland. O prazer do texto. 6 ed. São Paulo: Perspectiva, 2015.

BISHOP, Claire. Artificial Hells: Participatory Art and the Politics of Spectatorship. Londres: Verso, 2012.

BOHN, Simone. Evangélicos no Brasil: perfil socioeconômico, afinidades ideológicas e determinantes do comportamento eleitoral. Opinião Pública, Campinas, v. 10, n. 2, p. 288-338, out. 2004. Disponível em: <https://tinyurl.com/2k5k9m2d>. Acesso em: 09 set. 2022.

BURITY, Juany. Onda conservadora e surgimento da nova direita cristã brasileira? a conjuntura pós-impeachment no Brasil. Ciencias Sociales y Religión/Ciências Sociais e Religião, Campinas, v. 22, n. 1, pp. 1-24, 2020. Disponível em: <https://tinyurl.com/4kbhrs87>. Acesso em: 09 set. 2022.

BUTLER, Judith. Corpos que importam: os limites discursivos do sexo. São Paulo: n-1 edições, 2019.

FORTY, Adrian. Objetos de Desejo: Design e Sociedade desde 1750. São Paulo: Cosac & Naify, 2007.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 2 ed. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

FOUCAULT, Michel. “A vida dos homens infames”, in: Ditos e Escritos IV: Estratégia poder-saber. 2 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006, pp. 203-222.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da biopolítica: curso dado no Collège de France (1978-1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008a.

FREUND, Gisèle. Photography & Society. Boston: D.R. Godine, 1980.

NOGUEIRA, Thyago (org.). “Especial - que país é este”. In: Zum - Revista de Fotografia do Instituto Moreira Salles, vol. 7, nº1, outubro de 2014, p. 56-151.

NOGUEIRA, Thyago (org.). Corpo a corpo: a disputa das imagens, da fotografia à transmissão ao vivo. São Paulo: Instituto Moreira Salles, 2017.

RANCIÈRE, Jacques. O Desentendimento: política e filosofia. 1 ed. São Paulo: Ed. 34, 1996.

RANCIÈRE, Jacques. O dissenso. In: A crise da razão. Adauto Novaes (Org.). São Paulo: Companhia das Letras, 1996a. p. 367-382.

RANCIÈRE, Jacques. From politics to aesthetics? Paragraph: The Journal of the Modern Critical Theory Group, Edimburgo, v. 28, n. 1, pp.13-25, 2005.

RANCIÈRE, Jacques. Sobre políticas estéticas. Barcelona: Museu d'Art Contemporani de Barcelona, 2005a.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. 2 ed. São Paulo: Editora 34, 2009.

RANCIÈRE, Jacques. O Inconsciente Estético. 1 ed. São Paulo: Editora 34, 2009a.

RANCIÈRE, Jacques. O Espectador emancipado. 1 ed. Lisboa: Orfeu, 2010.

RANCIÈRE, Jacques. The aesthetic heterotopia. Philosophy Today, Ohio, Messenger Press, v. 1, n. 54, p. 15-25, jan 2010a.

RANCIÈRE, Jacques. O que significa “Estética”? Lisboa: KKYM, 2011. Tradução de R. P. Cabral. Disponível em: <https://tinyurl.com/56uhz52h>. Acesso em: 08/08/2022.

RANCIÈRE, Jacques. Mute speech: literature, critical theory, and politics. Nova Iorque: Columbia University Press, 2011a.

RANCIÈRE, Jacques. O Destino das Imagens. 1 ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

RANCIÈRE, Jacques. Aisthesis: Scenes from the Aesthetic Regime of Art. Nova Iorque: Verso, 2013.

RANCIÈRE, Jacques. A Noite dos proletários: arquivos do sonho operário. Lisboa: Antígona, 2013a.

RANCIÈRE, Jacques. A Fábula Cinematográfica. Campinas: Papirus, 2013b.

RANCIÈRE, Jacques. Nas margens do político. Lisboa: KKYM, 2014.

REBOUÇAS, Júlia. “Bárbara Wagner”. In: INSTITUTO PIPA. Catálogo Prêmio PIPA 2017. Rio de Janeiro: Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: <https://tinyurl.com/49zmnvnf>. Acesso em: 09 set. 2022.

ROLNIK, Suely. A multiplicação da subjetividade. Folha de São Paulo. Caderno Mais!, n.p., 19 de maio de 1996. Disponível em: <https://tinyurl.com/4uj8uy3r>. Acesso em: 09 set. 2022.

ROSSI, Paulo José. August Sander e Homens do século XX: a realidade construída. 2009. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: <https://tinyurl.com/z8mvbusp>. Acesso em: 09 set. 2022.

SANT’ANNA, Lourival. Cidades médias lideram crescimento populacional. O Estado de São Paulo, São Paulo, 28 nov. 2010. Vida, p. A38. Disponível em: <https://tinyurl.com/3tzczwaf>. Acesso em: 09 set. 2022.

SOUZA, Etiane Caloy Bovkalovski & MAGALHAES, Marionilde Dias Brepohl. Os pentecostais: entre a fé e a política. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 22, n. 43, p. 85-105, 2002 . Disponível em: <https://tinyurl.com/37xmdtzh>. Acesso em: 09 set. 2022.

WAGNER, Bárbara. Crentes e pregadores: Entrevista concedida a Daigo Oliva. Entretempos, 31 de outubro de 2014. Disponível em: <https://tinyurl.com/yv4b9c9k> Acesso em: 09 set. 2022.

WAGNER, Bárbara. Memória Paço das Artes - Crentes e Pregadores. Dezembro de 2015. (17 min), son., color. Entrevista concedida a Priscila Arantes por ocasião da Temporada de Projetos 2015 (Paço das Artes), São Paulo. Disponível em: <https://tinyurl.com/uftw92bk>. Acesso em: 09 set. 2022.

Arquivos adicionais

Publicado

2023-11-27

Como Citar

Eboli, P. (2023). Crentes e pregadores: imagem, política e alteridade. PORTO ARTE: Revista De Artes Visuais (Qualis A2), 27(48). https://doi.org/10.22456/2179-8001.137039

Edição

Seção

DOSSIÊ: Exercícios do Político na Imagem Contemporânea

Categorias