EVIDENCIAÇÃO DE CUSTOS E INVESTIMENTOS AMBIENTAIS EM EMPRESAS DO SETOR DE SIDERURGIA E METALURGIA LISTADAS NA B3

Autores

  • Hirlene Bezerra Assunção Universidade Federal do Ceará
  • Ítalo Carlos Soares do Nascimento Universidade Federal do Ceará
  • Maria Naiula Monteiro da Silva Universidade Federal do Ceará
  • Augusto Cezar Aquino Cabral Universidade Federal do Ceará
  • Sandra Maria dos Santos Universidade Federal do Ceará

Palavras-chave:

Custos ambientais, Investimentos ambientais, Evidenciação ambiental, Contabilidade ambiental

Resumo

A busca por empresas que possuem práticas socialmente responsáveis e sustentáveis tem aumentado, devido a conscientização, por parte da sociedade, da necessidade de diminuir os impactos causados pelas ações do homem na natureza. Esse interesse tem reflexos no âmbito empresarial, devido à necessidade de se adequar às novas exigências do mercado. Com isso, conhecer os recursos empregados nessas mudanças se faz necessário. Considerando esse contexto, objetivou-se, por meio desta pesquisa, analisar como as empresas do setor de siderurgia e metalurgia que possuem suas ações cotadas na bolsa de valores brasileira evidenciam seus custos e investimentos ambientais. A pesquisa caracteriza-se como descritiva e documental. Para identificar as informações ambientais foi realizada uma análise de conteúdo. Foram analisadas as informações evidenciadas nas Demonstrações Financeiras Padronizadas, nos Balanços Sociais, nos Relatórios Anuais e nos Relatórios de Sustentabilidade dos exercícios de 2010 a 2016 das empresas pertencentes à amostra. Os resultados revelaram que 60% das empresas evidenciaram informações referentes a custos e investimentos ambientais em seus relatórios. As categorias mais evidencias foram: custos com indenizações e penalidades ambientais e investimentos para manutenção dos processos e melhoria do ambiente. Verificou-se que a maioria das informações ambientais, tanto sobre custos quanto sobre investimentos foram evidenciadas nas Demonstrações Financeiras Padronizadas. Por fim, com relação ao tipo de evidenciação, a maioria das empresas optou por uma evidenciação quantitativa monetária tanto para custos quanto para investimentos ambientais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hirlene Bezerra Assunção, Universidade Federal do Ceará

Graduada em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará

Ítalo Carlos Soares do Nascimento, Universidade Federal do Ceará

Possui mestrado em Administração e Controladoria pela Universidade Federal do Ceará - UFC (2019), MBA em Finanças e Controladoria pela Universidade Norte do Paraná - UNOPAR (2017) e graduação em Ciências Contábeis pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN (2016). Desenvolve pesquisas nas seguintes áreas: Pesquisa e Ensino em Contabilidade; Gestão de Custos; Governança Corporativa; Sustentabilidade Empresarial; Diversidade de Gênero; e Internacionalização Empresarial.

Maria Naiula Monteiro da Silva, Universidade Federal do Ceará

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Ceará (1986), mestrado em Economia pela Universidade Federal do Ceará (1992) e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000). Professora Titular da Universidade Federal do Ceará. Atua na graduação e pós graduação em Administração e Controladoria, com foco em Gestão de Custos.

Augusto Cezar Aquino Cabral, Universidade Federal do Ceará

Possui graduação em Administração pela Universidade de Fortaleza (1988), mestrado em Administração pela Universidade Estadual do Ceará (1996), mestrado em Educação pela Universidade de New Hampshire - EUA - (1991) e doutorado em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (2001). É professor Titular da Universidade Federal do Ceará, onde atua no Programa de Pós-graduação em Administração e Controladoria (PPAC), nos campos dos estudos organizacionais e da gestâo de pessoas.

Sandra Maria dos Santos, Universidade Federal do Ceará

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Ceará (1978), mestrado em Economia pela Universidade Federal do Ceará (1989) e doutorado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (1998). 

Downloads

Publicado

2020-05-22

Edição

Seção

Artigos