GESTÃO DE CUSTOS INTERORGANIZACIONAIS: ANÁLISE DA APLICABILIDADE EM UMA REDE DE SUPERMERCADOS DE GRANDE PORTE

Autores

  • Rafael Araújo Sousa Farias Universidade Federal de Santa Catarina.
  • Valdirene Gasparetto Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Socioeconômico – Bloco F – UFSC – CEP 88040-970 – Florianópolis – SC
  • Rogério João Lunkes Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Socioeconômico – Bloco F – UFSC – CEP 88040-970 – Florianópolis – SC
  • Darci Schnorrenberger Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Socioeconômico – Bloco F – UFSC – CEP 88040-970 – Florianópolis – SC

Palavras-chave:

Gestão de custos interorganizacionais, Fatores condicionantes, Gestão estratégica de custos

Resumo

Este estudo tem como objetivo averiguar os fatores condicionantes que inibem e que incentivam a aplicabilidade da Gestão de Custos Interorganizacionais (GCI) em uma rede de supermercados de grande porte. A empresa foi visitada e foram aplicados questionários, tendo sido respondidos pelos colaboradores do supermercado que atuam na área de compras, que abastece os quarenta e seis supermercados do grupo, sendo a amostra da pesquisa de vinte e oito respondentes. Analisados os fatores condicionantes: Produtos, Níveis de Relacionamento, Tipos de Cadeia e Mecanismos, observou-se na rede de supermercados que os fatores condicionantes Níveis de Relacionamento incentivam a aplicabilidade da GCI, enquanto o fator condicionante Tipos de Cadeia é neutro à interferência na aplicabilidade da abordagem. Os fatores condicionantes Produto e Mecanismos inibem a aplicabilidade da GCI na organização, tendo sido destacados pela empresa a falta de confiança em seus fornecedores, o receio de entrar em parcerias oportunistas e a dinâmica do mercado como fatores que dificultam o estreitamento da relação com seus fornecedores. O sucesso da aplicação de abordagens de gestão de custos depende da ambiência em que a empresa está inserida, desse modo, as empresas devem compreender o mercado e analisar os fatores que favorecem e os que desfavorecem a utilização destas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Araújo Sousa Farias, Universidade Federal de Santa Catarina.

Formando em Administração de Empresas pelo Centro Universitário UniNOVAFAPI

Formado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Piauí - UFPI

Mestrando pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

 

Correspondência: Setor H. Samambaia, L. 17, C. 122 – Taguatinga-Norte – CEP 72001-735 – Brasília-DF

Valdirene Gasparetto, Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Socioeconômico – Bloco F – UFSC – CEP 88040-970 – Florianópolis – SC

Professora da Universidade Federal de Santa Catarina, atuando no curso de graduação e no programa de pós-graduação. Possui doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003), mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999) e graduação em Ciências Contábeis pela Universidade do Contestado (1995). Membro do Núcleo de Pesquisas em Controladoria e Sistemas de Controle Gerencial e do Núcleo de Pesquisas em Controladoria, ambos da UFSC.Tem experiência na área de Contabilidade e Gestão, e Engenharia de Produção, atuando principalmente nos seguintes temas: contabilidade gerencial, controladoria, gestão estratégica de custos e gestão de cadeias de suprimentos.

Rogério João Lunkes, Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Socioeconômico – Bloco F – UFSC – CEP 88040-970 – Florianópolis – SC

Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996), mestrado (1999) e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003), Pós-Doutorado pela Universidad de Valëncia-Espanha (2011). Atualmente é professor Associado I da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Ciências Contábeis, com ênfase em Controladoria e Contabilidade Gerencial, atuando principalmente nos seguintes temas: planejamento, controle e sistema de informações e instrumentos como, balanced scorecard e orçamento; além de estudos ambientais.

Darci Schnorrenberger, Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Socioeconômico – Bloco F – UFSC – CEP 88040-970 – Florianópolis – SC

Possui graduação em Ciências Contábeis (1996), Especialização em Gestão Contábil (1997), Mestrado em Inovação e Avaliação Tecnológica (1999) e Doutorado em Gestão de Negócios (2005) pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é professor Associado do curso de Ciências Contábeis e do Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência em gestão de Intangíveis; Controladoria e Orçamento.

Downloads

Publicado

2016-08-31

Edição

Seção

Artigos