O dia em que a Cumade Fulozinha tomou conta da sala de aula ou Cultura popular, literatura infantil e ensino

Autores

  • Ana Cristina Marinho Lúcio UFPB

DOI:

https://doi.org/10.22456/2595-4377.4768

Palavras-chave:

cultura popular, educação básica, literatura infantil, ensino de literatura

Resumo

Apresentamos nesse texto um relato de experiência com a cultura popular e a literatura infantil em três escolas de ensino básico do município de João Pessoa. O projeto aconteceu  durante os anos de 2002, 2003 e 2005. Nesse período, constatamos o crescente interesse da comunidade escolar em levar para o espaço da sala de aula a riqueza e a diversidade das manifestações da cultura popular, além de textos da literatura infantil que dialogam com a tradição oral. Assumimos como postura metodológica, durante todo o trabalho, o  respeito à diversidade cultural e aos sentidos que os artistas populares imprimem ao seu fazer, e ainda o reconhecimento da cultura popular como uma prática do presente, que não precisa ser resgatada nem defendida por pesquisadores, agentes culturais ou educadores, e sim reconhecida e respeitada. Adotamos como referencial teórico, autores como Gramsci (1969), Ortiz (1985), Fernandes (2003), Soares (1999) e Candau (2002).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cristina Marinho Lúcio, UFPB

Professora Doutora do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas e do Programa de Pós-graduação em Letras da UFPB

Downloads

Publicado

2008-04-06

Como Citar

LÚCIO, A. C. M. O dia em que a Cumade Fulozinha tomou conta da sala de aula ou Cultura popular, literatura infantil e ensino. Cadernos do Aplicação, Porto Alegre, v. 21, n. 1, 2008. DOI: 10.22456/2595-4377.4768. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/CadernosdoAplicacao/article/view/4768. Acesso em: 18 ago. 2022.