A terceirização da formação de professores para a implementação da BNCC:

os caminhos para o endividamento da docência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2595-4377.124617

Resumo

Inserido na temática de Formação de Professores, o estudo objetiva compreender de que modo as formações docentes propiciadas pelas redes e mantenedoras, previstas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), estão fomentando o endividamento dos professores na contemporaneidade. Compreendemos as formações docentes dedicadas à implementação da BNCC como uma estratégia empresarial, cujo objetivo é difundir discursos calcados na lógica do empreendedorismo e da performatividade visando o “treinamento do professor” para o bom desempenho escolar dos alunos. Os aportes teóricos que sustentam a investigação emergem do pensamento de autores como Bauman, Gadelha, Veiga-Neto e Garcia.  O material de pesquisa é constituído por um conjunto de notícias virtuais, extraídas via Google Alerta, entre os meses de março de 2018 a dezembro de 2019, que tratam da terceirização da formação docente à empresas de consultoria educativas privadas. Como estratégia analítica utilizamos a análise do discurso, na perspectiva foucaultiana. O escrutínio do material evidenciou que: o professor é culpabilizado pela qualidade da educação brasileira;  há uma tendência em reforçar o sentimento de incapacidade docente pela sua própria formação; a terceirização da formação vem sendo delegada a empresas, consultorias educativas, o que corrobora para que o professor se veja endividado ao longo de sua carreira profissional.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Wanderer, UFRGS

Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS, integrando a Linha de Pesquisa Estudos Culturais em Educação. É doutora (2007) e mestre (2001) em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), especialista (1999) em Formação do Professor de Matemática pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) e graduada (1997) em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Membro do Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Educação Matemática e Sociedade (GIPEMS), que integra o Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPQ. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: currículo, educação matemática, etnomatemática, cultura e práticas pedagógicas.

Maria Eduarda Leidens, UFRGS

Graduanda no Curso de Pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, bolsista de iniciação científica e  integrante do Grupo de Pesquisa em Educação e Disciplinamento (GPED/CNPq),  coordenado pela Professora Drª. Renata Sperrhake. Atualmente é coordenadora do grupo de pesquisa ‘GPEDinho’, derivado do GPED, sendo este,  destinado a formação de pesquisadoras iniciantes integrando diferentes  grupos de pesquisa e instituições.

Downloads

Publicado

2022-08-31

Como Citar

WANDERER, F.; VEIGA DE FREITAS, J.; LEIDENS PRATES, M. E. A terceirização da formação de professores para a implementação da BNCC:: os caminhos para o endividamento da docência. Cadernos do Aplicação, Porto Alegre, v. 35, 2022. DOI: 10.22456/2595-4377.124617. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/CadernosdoAplicacao/article/view/124617. Acesso em: 4 dez. 2022.