A reforma educativa e a psicologização dos problemas sociais

Jurjo Torres Santomé

Resumo


Faz-se aqui uma análise da reforma educacional do Estado Espanhol, enfatizando seus aspectos tecnocráticos, com a conseqüente desqualificação do papel do professorado, bem como sua opção pela psicologização da politica educacional, com exclusão das questões multiculturais, da percepção da discriminação sexista, da consideração da cultura popular e outras dimensões que vêm sendo estudadas pela Sociologia do Currículo. O texto da reforma é visto como um discurso predominantemente de corte psicológico, centrado em um indivíduo "universal", descontextualizado em suas dimensões mais sociais e históricas, e com efetivas dificuldades de conexão com a realidade educacional.


Palavras-chave


reforma educacional, currículo e psicologização

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2017 Jurjo Torres Santomé

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo